ann13050-pt-br — Anúncio

Prêmio Europeu de Jornalismo Astronômico abrange mais países

3 de Junho de 2013

O Prêmio Europeu de Jornalismo Astronômico 2013 foi divulgado hoje e este ano vai abranger concorrentes da Europa e América do Sul. A competição é gerida pelo Conselho Científico e Tecnológico (STFC, acrônimo do inglês Science and Technology Facilities Council) do Reino Unido, em colaboração com a Associação de Escritores Científicos Britânicos e com a Sociedade Astronômica Real.

A astronomia é uma disciplina de pesquisa global, que entusiasma e inspira milhões de pessoas diariamente em todo o mundo, por isso pensamos ser importante ampliar o concurso de modo a englobar uma maior região de cobertura”, disse hoje o Chefe do Departamento de Educação e Divulgação do ESO, Lars Lindberg Christensen.

O Chefe de Comunicação do STFC, Terry O´Connor, disse que na competição inaugural realizada em 2012 apenas puderam concorrer publicações ou transmissões em inglês do Reino Unido, mas que agora a participação está aberta a candidaturas em inglês de qualquer País Membro de ESO.

Estamos muito satisfeitos de poder trabalhar com o ESO no sentido de oferecer ao vencedor uma viagem ao instrumento óptico mais avançado do mundo: o Very Large Telescope do ESO, no Chile”, diz Terry.

O VLT está situado no Observatório do Paranal no Cerro Paranal, uma montanha de 2635 metros de altitude na região norte do Chile.

As candidaturas ao concurso têm que ser sobre astronomia ou áreas relacionadas de tecnologia, ou sobre o trabalho e modo de vida de astrônomos, engenheiros ou outros profissionais que trabalham no campo da astronomia.

As candidaturas devem refletir interesses europeus e podem ser de diversas formas: online, escritas ou transmitidas.

As candidaturas devem ter sido publicadas ou transmitidas durante o período de 1 de julho de 2012 a 31 de julho de 2013, inclusive. O prazo de candidatura termina na quarta-feira, dia 31 de julho de 2013.

Podem concorrer jornalistas, estudantes de um curso de jornalismo reconhecido, estudantes ou detentores de qualificação em astronomia reconhecida, cujo trabalho esteja publicado ou tenha sido transmitido e esteja acessível ao grande público. Poderá ser pedida uma prova do estatuto do candidato.

Leia por favor todos os termos e condições do concurso, que se encontram disponíveis online em www.stfc.ac.uk/astroprize e em www.eso.org/public/events/astroprize/.

Informação adicional

ESO

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a pesquisa em astronomia e é o observatório astronômico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronômicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrônomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação nas pesquisas astronômicas. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronômico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projeto astronômico que existe atualmente. O ESO está planejando o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio de 39 metros que observará na banda do visível e infravermelho próximo. O E-ELT será “o maior olho no céu do mundo”.

STFC

O Conselho Científico e Tecnológico mantém o Reino Unido na vanguarda da ciência internacional e lida com alguns dos desafios mais importantes para a sociedade tais como as futuras necessidades energéticas, a supervisão e compreensão das alterações climatéricas e a segurança global.

O Conselho tem uma grande variedade de programas científicos e trabalha em conjunto com a comunidade acadêmica e industrial, de modo a partilhar a sua experiência no que se refere à ciência dos materiais, tecnologias de astronomia terrestre e espacial, ciência laser, microeletrônica, fabricação de circuitos eletrônicos integrados, física nuclear e das partículas, produção de energias alternativas, comunicações por rádio e radar.

O STFC opera ou acolhe instalações de vanguarda a nível mundial para a investigação experimental, que incluem: a fonte pulsante de nêutrons ISIS, o Central Laser Facility e a rede LOFAR. O STFC é também o maior acionista da Diamond Light Source Ldt. no exterior e possui telescópios em La Palma e no Hawaii.

O STFC permite aos investigadores do Reino Unido acederem a instalações científicas internacionais de vanguarda, financiando os membros de organizações internacionais como o Laboratório Europeu de Física das Partículas (CERN), o Instituto Laue Langevin (ILL), a Infraestrutura Europeia de Radiação de Síncrotrão (ESRF) e o Observatório Europeu do Sul (ESO).

O STFC conta também com um vasto programa de divulgação científica, utilizando os seus trabalhos pioneiros para mostrar o impacto e os benefícios que a ciência pode trazer à sociedade, inspirando e motivando deste modo estudantes e público em geral.

O STFC é um dos sete conselhos de investigação financiado com fundos públicos. É um organismo público de regulação e supervisão independentes, que faz parte do Departamento de Negócios, Inovação e Capacidades (BIS).

Siga-nos no Twitter@STFC_Matters

www.stfc.ac.uk

Sociedade Astronômica Real

A Sociedade Astronômica Real (RAS: www.ras.org.uk), fundada em 1820, fomenta e promove o estudo da astronomia, das ciências que estudam o Sistema Solar, da geofísica e outros ramos da ciência directamente relacionados. A RAS organiza encontros científicos, publica artigos especializados e estudos internacionais, reconhece trabalhos extraordinários entregando prêmios e medalhas, mantém uma enorme biblioteca, apoia a educação atribuindo bolsas e promovendo atividades de divulgação e representa a astronomia do Reino Unido tanto nacional como internacionalmente. Os seus mais de 3500 membros (Fellows), um terço dos quais a trabalhar no exterior, incluem pesquisadores científicos em universidades, observatórios e laboratórios, assim como historiadores de astronomia e outros.

Associação de Escritores Científicos Britânicos

http://www.absw.org.uk/

Links

Contatos

Oana Sandu
The education and Public Outreach Department
ESO
Tel: +49 89 320 069 65
Email: osandu@partner.eso.org

Lucy Stone
Press Office
STFC Rutherford Appleton Laboratory
Tel: +44 (0)1235 445 627
Telm: +44 (0)7920 870125
Email: lucy.stone@stfc.ac.uk

Dr Robert Massey
Royal Astronomical Society
Telm: +44 (0)794 124 8035
Email: rm@ras.org.uk

Martin Ince
Association of British Science Writers
Email: martin@martinince.com

Sobre o anúncio

Id:ann13050

Imagens

Uma estrela artificial sobre o Paranal
Uma estrela artificial sobre o Paranal