Escolha o seu idioma:

ann14004-pt-br — Anúncio

Colaboração ESA/ESO localiza o seu primeiro Objeto Próximo da Terra potencialmente perigoso

21 de Janeiro de 2014

A primeira campanha de procura de Objetos Próximo da Terra (OPT) tem sido levada a cabo de modo bem sucedido por uma nova colaboração entre a Agência Espacial Europeia (ESA) e o ESO. Até agora o asteróide 2009 FD estava entre os cinco principais objetos mais perigosos, no entanto novas observações obtidas com o Very Large Telescope do ESO [(VLT) mostraram que este asteróide tem muito menos probabilidade de atingir a Terra do que o que se pensava anteriormente [1].

Os Objetos Próximo da Terra (OPT, em inglês Near-Earth Objects, NEO) são asteróides ou cometas com órbitas em torno do Sol que se aproximam muito da órbita terrestre. São conhecidos mais de 600 000 asteróides e destes 10 000 são OPT. As suas dimensões vão desde alguns metros a dezenas de quilómetros. Alguns poderiam colidir com o nosso planeta e, dependendo do seu tamanho, produzir mais ou menos estragos. Embora a probabilidade de um objeto grande colidir com a Terra seja muito pequena, este fenómeno conduziria a grande destruição e perda de vida.

A nova colaboração entre a ESA e o ESO insere-se no âmbito de um esforço global por parte das Nações Unidas e do seu Comité de Uso Pacífico do Espaço Exterior (Committee on the Peaceful Uses of Outer Space -UNCOPUOS). No seguimento do evento de Chelyabinsk na Rússia, que ocorreu do mês de fevereiro do ano passado, surgiu um interesse renovado na existência de uma acção global relativa à ameaça de OPT. A Equipa de Acção do UNCOPUOS, incluindo o ESO, fez uma recomendação para a existência de uma resposta global à ameaça de um impacto de OPT, no sentido de se formar uma Rede Internacional de Aviso de Asteróides, a qual a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou em outubro de 2013.

As capacidades únicas do ESO em observar OPT muito ténues (mas ainda assim potencialmente perigosos) complementam os esforços da ESA para descobrir e rastrear estes objetos. Novas observações do asteróide 2009 FD obtidas pelo Very Large Telescope de 8,2 metros do ESO, no Cerro Paranal, no Chile, resultaram em medições de posição de muito boa qualidade. Estes dados foram agora aceites pelo Minor Planet Center da União Astronómica Internacional, a organização responsável por colectar dados observacionais para asteróides e outros corpos menores do Sistema Solar. O sistema europeu NEODyS e o sistema JPL-based Sentry calcularam órbitas e fizeram monitorização de impactos com o auxílio destas novas observações VLT.

O Segmento NEO da Space Situational Awareness da ESA (SSA) pretende coordenar e combinar informação vinda de diferentes fontes, analisando-a de modo a prever um possível impacto com a Terra, avaliar o perigo e analisar as possíveis mitigações, incluindo o desvio de um asteróide perigoso.  

As observações bem sucedidas do asteróide 2009 FD mostram que ter acesso a um telescópio grande como o VLT é uma excelente oportunidade para o Centro de Coordenação de OPT (NEO Coordination Centre), já que possibilita a obtenção de observações muito precisas de posições de objetos muito ténues [2], o que só se consegue com os maiores telescópios.

Notas
[1] A valor associado da escala de Palermo desceu de quase um factor dez para o valor -2,6 (de -1,8 numa escala logarítmica). Os modelos de computador indicam que existe ainda assim uma pequena hipótese de impacto entre os anos 2185 e 2198.

[2] Até uma magnitude visual de 26,5

Informação Adicional
As observações foram efectudas pelo pessoal do Paranal em prol da equipa, que inclui Olivier Hainaut (ESO), Detlef Koschny (ESA) e Marco Micheli (equipa NEOCC, ESA/Serco).

Links

Contatos

Olivier R. Hainaut
Astrónomo do ESO
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6752
Telm: +49 151 2262 0554
Email: ohainaut@eso.org

Richard Hook
ESO, Public Information Officer
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6655
Telm: +49 151 1537 3591
Email: rhook@eso.org

Bookmark and Share

Sobre o anúncio

Id:ann14004

Imagens

O VLT fotografa o muito ténue Objeto Próximo da Terra 2009 FD
O VLT fotografa o muito ténue Objeto Próximo da Terra 2009 FD