Foto da Semana 2012

Assine a lista esonews
potw1213-pt-br — Foto da Semana
Gostaria de estar aqui?
26 de Março de 2012: O fotógrafo francês Serge Brunier, um dos embaixadores fotográficos do ESO, criou este panorama em 360º, sem emendas, do planalto Chajnantor no deserto do Atacama, onde o ALMA está sendo construído. A projeção panorâmica deformou levemente o formato das antenas do ALMA, mas ainda dá a sensação do que seria estar no meio deste incrível novo observatório. A vista em 360º também mostra a completa isolação do planalto Chajnantor. A 5000 metros de altitude, o plano de fundo é praticamente uniforme, exceto por alguns picos de montanhas e morros. Apesar do desafio que é construir um telescópio tão ambicioso em um clima tão rigoroso, a elevada altitude do lugar é perfeita para astronomia submilimétrica. Isso acontece porque o vapor d’água na atmosfera absorve este tipo de radiação, mas o ar é muito mais seco em locais altos como Chajnantor. ALMA começou suas primeiras observações científicas em 30 de setembro de ...
potw1212-pt-br — Foto da Semana
O VLT vai à caça do Leão
19 de Março de 2012: O VLT capturou outro membro do grupo de galáxias Leo I, na constelação de Leão. A galáxia Messier 95 está de frente para nós, oferecendo uma visão ideal de sua estrutura espiral. Os braços espirais formam um círculo quase perfeito em torno do centro da galáxia antes de se espalharem, criando um efeito parecido com uma juba que qualquer leão teria orgulho. Talvez a característica mais marcante de Messier 95 seja seu brilhante núcleo dourado. Ele contém um anel de formação de estrelas, com quase 2000 anos-luz de extensão, onde ocorre grande parte da formação de estrelas da galáxia. Este fenômeno ocorre principalmente em galáxias espirais barradas como Messier 95 e a nossa Via Láctea. No grupo de Leo I, Messier 95 é ofuscada pela sua irmã Messier 96 (veja potw1143). Messier 96 é de fato o membro mais brilhante do grupo, e como "líder do bando", também dá ao grupo ...
potw1211-pt-br — Foto da Semana
Uma camada de neve no deserto do Atacama
12 de Março de 2012: As cúpulas do VLT do ESO no Cerro Paranal reluzem ao Sol em mais um glorioso dia sem nuvens. Mas algo está diferente nesta imagem: uma fina camada de neve espalhou-se pela paisagem do deserto. Isto não é algo que se vê todos os dias: muito pelo contrário, já que o deserto do Atacama praticamente não recebe precipitação. Vários fatores contribuem para as condições secas do Atacama. A Cordilheira dos Andes bloqueia a chuva vinda do leste, e a Cordilheira Costal chilena a chuva vinda do oeste. A corrente marítima de Humboldt, um fluxo gelado no Oceano Pacífico, cria uma camada de inversão térmica no ar litorâneo, que impede que nuvens de chuva sejam formadas. A região de alta pressão no sudeste do Oceano Pacífico faz com que os ventos circulem, gerando anti-ciclones, que também contribuem para manter o clima do Atacama árido. Graças a esses fatores, a região é ...
potw1209-pt-br — Foto da Semana
Rodopio de Partida
27 de Fevereiro de 2012: O dinamismo do Very Large Telescope do ESO no início das operações, encontra-se soberbamente ilustrado nesta invulgar fotografia, tirada logo a seguir ao pôr do Sol, no preciso momento em que o Telescópio 1 começa a trabalhar. Uma longa exposição, com uma duração de 26 segundos, permitiu ao Embaixador Fotográfico do ESO, Gerhard Hudepohl, captar o movimento da cúpula, olhando para fora através do buraco que se vai abrindo, à medida que o sistema se põe em movimento. As paredes rotativas da cúpula aparecem-nos num rodopio etéreo, através do qual podemos distinguir um pouco do Deserto do Atacama, enquanto o firme céu do crepúsculo nos oferece ainda um lampejo de azul discreto. A estrutura do telescópio, que aparece estacionária no centro da imagem, alberga um espelho de 8.2 metros de diâmetro, concebido para colectar radiação vinda dos confins do Universo. A própria cúpula é uma maravilha da tecnologia, movendo-se com ...
Mostrar 41 até 44 de 44
Envie-nos os seus comentários!
Assine as Notícias do ESO