Lá em cima

Nesta imagem o Very Large Telescope do ESO (VLT) parece um telescópio muito pequeno! Visto desta perspectiva, torna-se difícil distinguir as silhuetas dos quatro Telescópios Principais de 8,2 metros do VLT, que estão colocados no alto do Cerro Paranal, no deserto chileno do Atacama.

A localização do VLT foi escolhida de modo extremamente cuidadoso. É vital que o local seja tão seco quanto possível, uma vez que o vapor d'água absorve a radiação infravermelha e degrada as observações. De modo a reduzir o máximo possível os efeitos da atmosfera terrestre, o VLT situa-se 2600 metros acima do nível do mar, minimizando assim a quantidade de atmosfera até as estrelas.

Devido a esta localização remota, o Paranal é um lugar praticamente imperturbado e livre de poluição luminosa. Até as estradas serpenteantes que conduzem ao local através do deserto do Atacama estão fracamente iluminadas de modo a evitar luz desnecessária.

Nesta imagem, uma trilha de estrelas corta o céu noturno, tal como fumaça subindo através de uma chaminé celeste. Trata-se da nossa casa galática, a Via Láctea. Em direção ao topo da imagem vemos uma seção mais brilhante e larga, que corresponde ao bojo galáctico repleto de estrelas e que se situa no coração da Via Láctea.

Crédito:

ESO/B. Tafreshi (twanight.org)

Sobre a imagem

Id:potw1713a
Idioma:pt-br
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:27 de Março de 2017 às 06:00
Tamanho:5012 x 10774 px

Sobre o objeto

Nome:Cerro Paranal, Paranal
Tipo:Unspecified : Sky Phenomenon : Night Sky : Milky Way
Unspecified : Technology : Observatory

Formatos de imagens

JPEG grande
18,1 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
346,6 KB
1280x1024
596,6 KB
1600x1200
829,3 KB
1920x1200
777,0 KB
2048x1536
1,1 MB

 

Veja também