Notas de imprensa 2010

Assine a lista esonews
eso1030-pt-br — Nota de imprensa científica
As Estrelas Tornaram-se Maiores
21 de Julho de 2010: Combinando instrumentos do Very Large Telescope do ESO, os astrónomos descobriram as estrelas de maior massa conhecidas até agora, uma delas com mais de 300 vezes a massa do Sol na altura do seu nascimento, ou seja, com duas vezes mais massa que o actual limite superior aceite de 150 massas solares. A existência destes monstros - milhões de vezes mais luminosos que o Sol, e que perdem massa através de poderosos ventos estelares - poderá bem responder à pergunta “Qual é a maior massa que podem ter as estrelas?”
eso1029-pt-br — Nota de imprensa científica
Desvendando o Mistério da Formação de Estrelas de Grande Massa
14 de Julho de 2010: Os astrónomos obtiveram a primeira imagem de uma disco de poeiras que rodeia uma estrela bebé de grande massa, obtendo evidências directas de que as estrelas de grande massa se formam da mesma maneira que as suas irmãs mais pequenas. Esta descoberta, feita graças à combinação de observações obtidas por vários telescópios do ESO, aparece descrita num artigo que sai esta semana na revista Nature.
eso1028-pt-br — Nota de imprensa científica
Buraco Negro Insufla Bolha Gigante
7 de Julho de 2010: Combinando observações obtidas com o Very Large Telescope do ESO e o telescópio de raios X Chandra da NASA, os astrónomos descobriram o mais poderoso par de jactos alguma vez observado, ejectado por um buraco negro estelar. Este objecto, também conhecido como um micro-quasar, insufla uma enorme bolha de gás quente, com uma dimensão de 1000 anos-luz, duas vezes maior e dezenas de vezes mais poderoso do que outros micro-quasares conhecidos. A descoberta deu origem a um artigo publicado esta semana na revista Nature.
eso1027-pt-br — Foto de imprensa
R Coronae Australis: Uma Aguarela Cósmica
30 de Junho de 2010: Esta bela fotografia da região que rodeia a estrela R Coronae Australis foi criada através de imagens obtidas com o instrumento Wide Field Imager (WFI), no Observatório de La Silla do ESO, no Chile. R Coronae Australis situa-se na zona central de uma região de formação estelar próxima e encontra-se rodeada por uma delicada nebulosa de reflexão azulada embutida numa gigantesca nuvem de poeira. A imagem revela novos detalhes surpreendentes desta região do céu.
eso1026-pt-br — Nota de imprensa científica
VLT Detecta Primeira Super-Tempestade num Exoplaneta
23 de Junho de 2010: Os astrónomos mediram pela primeira vez uma super-tempestade na atmosfera de um exoplaneta, HD209458b, o já bem estudado “Júpiter quente”. As observações de elevada precisão de monóxido de carbono mostram que este gás se desloca a alta velocidade numa corrente que vai do lado diurno muito quente do planeta para o lado nocturno mais frio. As observações fornecem igualmente algo completamente novo - a medição da velocidade orbital do próprio exoplaneta, permitindo assim uma determinação directa da sua massa.
eso1025-pt-br — Foto de imprensa
VISTA Observa a Galáxia do Escultor
16 de Junho de 2010: O telescópio VISTA, situado no Observatório do Paranal, Chile, obteve uma nova imagem espectacular da Galáxia do Escultor (NGC 253), imagem essa que faz parte da sua primeira grande campanha observacional. Ao observar no infravermelho, a visão do VISTA é menos afectada por poeira, revelando uma imensidão de estrelas frias, assim como uma barra de estrelas proeminente que atravessa a região central. A imagem VISTA fornece imensa informação nova sobre a história e o desenvolvimento desta galáxia.
eso1024-pt-br — Nota de imprensa científica
Exoplaneta Apanhado em Movimento
10 de Junho de 2010: Os astrónomos conseguiram, pela primeira vez, seguir o movimento de um exoplaneta, à medida que este se move de um lado da sua estrela hospedeira para o outro. O exoplaneta tem a mais pequena órbita alguma vez detectada em exoplanetas observados directamente em imagens, situando-se quase tão perto da sua estrela como Saturno está do Sol. Os cientistas pensam que este objecto se pode ter formado de modo semelhante aos planetas gigantes do Sistema Solar. Uma vez que a estrela é bastante jovem, esta descoberta mostra que planetas gigantes gasosos podem formar-se no interior de discos em apenas alguns milhões de anos, uma escala de tempo curta em termos cósmicos.
eso1023-pt-br — Nota de imprensa institucional
Novo Telescópio Nacional em La Silla
8 de Junho de 2010: Um novo telescópio robótico acaba de ter a primeira luz (primeira observação de teste bem sucedida) no Observatório de La Silla do ESO, no Chile. O telescópio TRAPPIST (acrónimo do inglês, TRAnsiting Planets and PlanetesImals Small Telescope) dedicar-se-á ao estudo de sistemas planetários de dois modos diferentes: detecção e caracterização de planetas situados fora do Sistema Solar (exoplanetas) e estudo de cometas que orbitam o Sol. O telescópio de 60 cm é operado a partir de uma sala de controlo em Liège, na Bélgica, ou seja, a cerca de 12 000 km de distância.
eso1022-pt-br — Nota de imprensa institucional
Raymond Wilson, que trabalhou na Concepção de Telescópios do ESO, recebe o Prestigioso Prémio Kavli da Astrofísica
4 de Junho de 2010: Raymond Wilson, cuja investigação pioneira em óptica no ESO levou à realidade dos grandes telescópios graças à tecnologia de “óptica activa”, recebeu o Prémio Kavli 2010 da Astrofísica. Fundador e primeiro líder do Grupo Óptica e Telescópios do ESO, Wilson partilha o prémio de um milhão de dólares com dois cientistas americanos, Jerry Nelson e Roger Angel.
eso1021-pt-br — Foto de imprensa
Um Zoo Cósmico na Grande Nuvem de Magalhães
1 de Junho de 2010: Os astrónomos observam muitas vezes a Grande Nuvem de Magalhães (LMC), uma das galáxias mais próximas da nossa Via Láctea, na sua procura incessante dos segredos do Universo. Nesta nova imagem espectacular obtida com o instrumento Wide Field Imager (WFI) no Observatório de La Silla do ESO, no Chile, podemos observar uma vasta colecção de diferentes objectos e fenómenos numa região da LMC, desde enormes enxames globulares até aos restos deixados por explosões de supernovas brilhantes. Esta observação fascinante fornece dados para uma enorme variedade de projectos de investigação, mostrando a vida e a morte de estrelas e a evolução de galáxias.
eso1020-pt-br — Foto de imprensa
Nova Imagem de uma Espiral Clássica
19 de Maio de 2010: O ESO acaba de divulgar uma bela imagem da galáxia próxima Messier 83, obtida com o instrumento HAWK-I montado no Very Large Telescope do ESO (VLT), no observatório do Paranal, Chile. A imagem mostra a galáxia na radiação infravermelha e demonstra o impressionante poder da câmara, capaz de criar a fotografia mais nítida e mais detalhada alguma vez conseguida de Messier 83, a partir do solo terrestre.
eso1019-pt-br — Foto de imprensa
Um Enxame e um Mar de Galáxias
5 de Maio de 2010: Uma nova imagem de grande campo divulgada hoje pelo ESO mostra vários milhares de galáxias longínquas, entre as quais se encontra um grande grupo pertencente a um enxame de galáxias de grande massa conhecido como Abell 315. Embora pareça já bastante denso em termos de objectos, este conjunto de galáxias é apenas a “ponta do icebergue”, uma vez que Abell 315 - tal como a maioria dos enxames de galáxias - é dominado por matéria escura. A enorme quantidade de massa deste enxame desvia a radiação emitida pelas galáxias de fundo, distorcendo ligeiramente as suas formas observadas.
eso1018-pt-br — Nota de imprensa institucional
Local do E-ELT Escolhido
26 de Abril de 2010: No dia 26 de Abril de 2010, o Conselho do ESO escolheu o Cerro Armazones como o local de instalação do provável telescópio de 42 metros, o E-ELT, European Extremely Large Telescope. O Cerro Armazones é uma montanha com uma altitude de 3060 metros situada na região central do deserto do Atacama, no Chile, a cerca de 130 quilómetros a sul da cidade de Antofagasta e a 20 quilómetros do Cerro Paranal, local do Very Large Telescope do ESO.
eso1017-pt-br — Foto de imprensa
VISTA Desvenda Segredos Escondidos do Gato Celeste
21 de Abril de 2010: A Nebulosa Pata de Gato, NGC 6334, é uma enorme maternidade estelar, local de nascimento de centenas de estrelas de grande massa. Numa nova imagem do ESO, obtida com o telescópio de rastreio VISTA (Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy) situado no Observatório do Paranal, Chile, radiação infravermelha penetra o gás brilhante e as nuvens de poeira que obscurecem a imagem fazendo com que algumas das estrelas jovens escondidas possam ser observadas.
eso1016-pt-br — Nota de imprensa científica
Teoria Planetária Virada do Avesso
13 de Abril de 2010: A descoberta de nove novos exoplanetas em trânsito é hoje anunciada no Encontro Nacional de Astronomia do Reino Unido (RAS National Astronomy Meeting, NAM2010). Quando estes novos resultados foram combinados com observações anteriores de exoplanetas em trânsito, os astrónomos surpreenderam-se com o facto de seis deles, numa amostragem de 27, orbitarem na direcção oposta à da rotação da estrela hospedeira - precisamente o contrário do que se passa no nosso Sistema Solar. Estas novas descobertas põem em causa, de maneira séria e inesperada, as actuais teorias de formação planetária. As novas observações sugerem igualmente que sistemas com exoplanetas do tipo Júpiter quente não deverão, muito provavelmente, conter planetas do tipo da Terra.
eso1015-pt-br — Nota de imprensa científica
O Céu de Verão de Metano e Monóxido de Carbono de Tritão
7 de Abril de 2010: Segundo a primeira análise alguma vez feita no infravermelho da atmosfera do satélite de Neptuno, Tritão, o seu hemisfério sul encontra-se em pleno Verão. Uma equipa de observação europeia utilizou o Very Large Telescope do ESO e descobriu monóxido de carbono. Foi também detectado metano na fina atmosfera de Tritão pela primeira vez a partir do solo terrestre. Estas observações revelam que a atmosfera varia de estação para estação, tornando-se mais espessa quando está quente.
eso1014-pt-br — Foto de imprensa
A Face Escura e Iluminada de uma Nebulosa onde se Formam Estrelas
31 de Março de 2010: Hoje o ESO divulga uma imagem de uma nebulosa de fraca luminosidade, pouco conhecida, Gum 19, que no infravermelho aparece escura numa metade e brilhante na outra. De um lado o gás de hidrogénio quente é iluminado por uma estrela azul supergigante chamada V391 Velorum. Novas estrelas encontram-se em formação no interior da fita de matéria luminosa e escura. Depois de muitos milénios, estas novas estrelas, juntamente com a explosão final de V391 Velorum como supernova, irão provavelmente alterar a actual aparência de Gum 19.
eso1013-pt-br — Nota de imprensa científica
Explicado: Porque é que tantos rastreios de galáxias longínquas perdem 90% dos seus alvos
24 de Março de 2010: Os astrónomos sabem desde há muito tempo que, em muitos rastreios do Universo longínquo, uma grande fracção da radiação intrínseca total não é observada. Agora, graças a um rastreio profundo executado com dois dos quatro telescópios gigantes de 8.2 metros que compõem o Very Large Telescope do ESO (VLT) e a um filtro de alta qualidade, os astrónomos determinaram que uma enorme fracção de galáxias cuja luz demorou 10 mil milhões de anos a chegar até nós não foi descoberta. O rastreio ajudou igualmente a encontrar algumas das galáxias menos luminosas alguma vez descobertas nesta fase inicial do Universo.
eso1012-pt-br — Nota de imprensa científica
APEX Fotografa de Perto, e Pela Primeira Vez, Fábricas de Estrelas no Universo Longínquo
21 de Março de 2010: Pela primeira vez, os astrónomos mediram directamente o tamanho e o brilho de regiões de formação estelar numa galáxia muito distante, graças a uma descoberta inesperada do telescópio APEX. A galáxia encontra-se tão distante, e a sua luz demorou tanto tempo a chegar até nós, que a vemos tal como era há 10 mil milhões de anos. Uma “lente gravitacional” cósmica está a amplificar a galáxia, dando-nos assim uma vista de perto, a qual seria totalmente impossível de obter de outro modo. Esta descoberta inesperada revela formação estelar vigorosa e agitada nas galáxias do Universo primitivo, com maternidades estelares a formarem-se cem vezes mais depressa do que nas galáxias mais recentes. Este trabalho é publicado hoje online na revista Nature.
eso1011-pt-br — Nota de imprensa científica
Medido o Primeiro Exoplaneta Temperado
17 de Março de 2010: Combinando observações do satélite CoRoT e do instrumento HARPS do ESO, os astrónomos descobriram o primeiro exoplaneta “normal” que pode ser estudado em grande pormenor. Conhecido pelo nome de Corot-9b, o planeta passa regularmente em frente a uma estrela semelhante ao Sol, situada a cerca de 1500 anos-luz de distância, na direcção da constelação da Serpente.
Mostrar 21 até 40 de 50