Escolha o seu idioma:
italiano Nederlands Português español English español Íslenska Türkçe
Bringing news from across the Universe to children all around the world

Um “flash” do passado

29 de Junho de 2011

Os astrónomos podem recuar no tempo até à época em que o universo era jovem. Não precisam de entrar numa máquina do tempo como num filme de ficção científica. Apenas necessitam de poderosos telescópios que lhes permitam olhar para objectos distantes no Universo, porque quando olhamos para o espaço estamos a olhar para o passado! 

A luz é mais rápida que qualquer outra coisa no Universo, mas necessita de tempo para viajar através do espaço. Por exemplo, a luz do Sol demora 8 minutos a chegar à Terra. No entanto o Sol está relativamente perto de nós. A luz de objectos distantes no cosmos, como estrelas ou galáxias demora milhões ou milhares de milhões de anos para alcançar a Terra. Assim actualmente estamos a ver os objectos tal como eram milhões ou milhares de milhões de anos atrás! 

Os astrónomos olham para objectos distantes no cosmos porque nos mostram um Universo muito jovem. Quasares, são galáxias especiais que estão tão distantes que quando as observamos estamos a olhar para o Universo quando ainda era um bebé. São incrivelmente brilhantes – brilham mais do que 100 galáxias normais juntas! É pelo facto de serem tão brilhantes que os astrónomos as conseguem localizar nos telescópios. Como estão muito longe, aparecem nas fotos como pequenos pontos de luz, então os astrónomos pedem aos artistas que desenham o que pensam ser os quasares, como na imagem em cima. 

Presentemente, astrónomos encontraram um quasar muito mais distante que qualquer outro até agora observado. A sua luz viajou até nós durante 13 mil milhões de anos! Segundo um dos membros da equipa que efectuou esta descoberta, o astrónomo Daniel Mortlock “Encontrar este objecto requereu um trabalho extremamente meticuloso, mas valeu a pena todo o esforço pois ajudou a desvendar alguns dos mistérios dos primórdios do Universo.” 

Facto curioso: Quando contempla o céu nocturno pode estar a observar uma estrela que já não existe! Podemos continuar a vê-la apenas porque estamos a receber a luz que a estrela emitiu há muito tempo atrás!

Esta é a versão para crianças da Nota de Imprensa do ESO eso1122.