eso1716pt-br — Nota de imprensa institucional

Colocada a primeira fundamental do Extremely Large Telescope

Início da construção da cúpula e do telescópio ELT comemorada com cerimônia solene no Cerro Armazones

26 de Maio de 2017

A pedra fundamental do Extremely Large Telescope do ESO (ELT) foi colocada hoje pela Presidente da República do Chile, Michelle Bachelet Jeria, durante uma cerimônia realizada no Cerro Armazones, a 3046 metros acima do nível do mar, no norte do Chile, perto do Observatório Paranal do ESO. Este marco assinalou o início da construção da cúpula e da estrutura principal daquele que será o maior telescópio óptico do mundo e anunciou o despertar de uma nova era na astronomia. A cerimônia marcou também a ligação do observatório à rede elétrica nacional chilena.

A Presidente Bachelet foi recebida por Tim de Zeeuw, Diretor Geral do ESO, Roberto Tamai, Gestor de Programa do ELT, e Andreas Kaufer, Diretor do Observatório La Silla Paranal. Também estiveram presentes na cerimônia altos dignatários do governo chileno e indústria, tanto chilenos como de outros países, assim como cientistas e engenheiros do ESO e representantes dos meios de comunicação social locais e internacionais.

Um dos destaques da cerimônia foi a selagem de uma cápsula do tempo preparada pelo ESO, cujo conteúdo inclui um poster com fotografias do atual pessoal do ESO e uma cópia do livro que descreve os objetivos científicos do futuro telescópio. A cápsula do tempo foi selada com um hexágono de Zerodur® gravado, correspondente a um modelo feito à escala de 1/5 de um dos segmentos do espelho primário do ELT.

PRESIDENTE

Tim de Zeeuw agradeceu à Presidente e ao seu governo pelo apoio contínuo prestado ao ESO no Chile e pela proteção dada ao céu sem par do país: ”O ELT irá fazer descobertas que simplesmente não podemos atualmente imaginar, inspirando certamente inúmeras pessoas em todo o mundo a pensarem na ciência, na tecnologia e no nosso lugar no Universo. Toda esta dinâmica trará enormes benefícios aos Estados Membros do ESO, ao Chile e ao mundo de modo geral.” 

Com um espelho primário de 39 metros de diâmetro, o Extremely Large Telescope (ELT) será o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo e levará a tecnologia de telescópios a desbravar novos territórios. O telescópio ficará alojado numa enorme cúpula rotativa, de 85 metros de diâmetro — comparável à área de um campo de futebol [1].

Há um ano atrás, o ESO assinou um contrato com o ACe Consortium, constituído pela Astaldi, Cimolai e o sub-contratado EIE Group, para a construção da cúpula e estrutura do telescópio (eso1617). Tratou-se do maior contrato já concedido pelo ESO e também do maior jamais assinado para a astronomia terrestre. Com o colocar da pedra fundamental, a construção da cúpula e da estrutura do ELT começa de modo oficial [2].

A cerimônia também marcou a ligação dos observatórios do Cerro Paranal e do Cerro Armazones à rede elétrica nacional chilena. Esta ligação, possível graças ao forte apoio do governo chileno, é gerida pelo Grupo SAESA chileno. A nova ligação reduzirá custos e fornecerá uma maior confiança e estabilidade, para além de diminuir a pegada de carbono no ambiente por parte do observatório.

O ELT é o mais recente de muitos projetos do ESO que beneficiaram enormemente do apoio continuado do governo do Chile, o país de acolhimento há mais de meio século. O forte apoio do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério da Energia e da Comissão Nacional de Energia (CNE) foi vital no estabelecimento da ligação do local à rede elétrica nacional.

O local onde o ELT ficará instalado foi doado ao ESO pelo governo do Chile, encontrando-se rodeado por uma concessão de terreno ainda mais ampla, de modo a proteger as futuras operações do telescópio de interferências de qualquer tipo — e contribuindo assim para que o Chile continue a manter o seu estatuto de capital astronômica do mundo.

O ELT será o maior “olho” do mundo apontado para o céu e poderá revolucionar a nossa percepção do Universo. Investigará um vasto domínio de desafios científicos, incluindo a procura de sinais de vida em exoplanetas do tipo terrestre, o estudo da natureza da energia escura e da matéria escura e a observação das fases iniciais do Universo, levando-nos à exploração das nossas origens cósmicas. Levantará certamente também novas questões que atualmente não imaginamos e melhorará sem sombra de dúvida a vida na Terra através de novos avanços tecnológicos e feitos de engenharia.

Prevê-se que o ELT veja a sua primeira luz em 2024. O colocar da pedra fundamental marca o despertar de uma nova era na astronomia.

Notas

[1] Para a cerimônia pintou-se no topo da enorme plataforma do telescópio uma indicação do tamanho do espelho primário de 39 metros, de modo a demonstrar o verdadeiro tamanho do espelho gigantesco do ELT e a grandiosidade do empreendimento.

[2] A  cúpula terá uma massa total de cerca de 5000 toneladas e o suporte do telescópio e a estrutura do tubo terão uma massa total em movimento de mais de 3000 toneladas. Ambas estas estruturas serão de longe as maiores jamais construídas para um telescópio óptico/infravermelho, fazendo com que as restantes pareçam minúsculas e tornando o ELT claramente no maior olho do mundo virado para o céu.

Mais Informações

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é de longe o observatório astronômico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 16 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça, assim como pelo Chile, o país de acolhimento. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e operação de observatórios astronômicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrônomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronômica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronômico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é um parceiro principal no ALMA, o maior projeto astronômico que existe atualmente. E no Cerro Armazones, próximo do Paranal, o ESO está a construir o European Extremely Large Telescope (E-ELT) de 39 metros, que será “o maior olho do mundo virado para o céu”.

Links

Contatos

Gustavo Rojas
Universidade Federal de São Carlos
São Carlos, Brazil
Tel.: +551633519797
e-mail: grojas@ufscar.br

Richard Hook
ESO Public Information Officer
Garching bei München, Germany
Tel.: +49 89 3200 6655
Cel.: +49 151 1537 3591
e-mail: rhook@eso.org

Connect with ESO on social media

Este texto é a tradução da Nota de Imprensa do ESO eso1716, cortesia do ESON, uma rede de pessoas nos Países Membros do ESO, que servem como pontos de contato local para a imprensa. O representante brasileiro é Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos. A nota de imprensa foi traduzida por Margarida Serote (Portugal) e adaptada para o português brasileiro por Gustavo Rojas.

Sobre a nota de imprensa

No. da notícia:eso1716pt-br
Nome:Extremely Large Telescope
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory
Facility:Extremely Large Telescope

Imagens

Concepção artística do ELT em operação
Concepção artística do ELT em operação
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet, sela a cápsula do tempo  durante a cerimónia de colocação da pedra fundamental do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet, sela a cápsula do tempo durante a cerimónia de colocação da pedra fundamental do ELT
Concepção artística do ELT em operação
Concepção artística do ELT em operação
Concepção artística do ELT em operação
Concepção artística do ELT em operação
O topo nivelado do Cerro Armazones no norte do Chile
O topo nivelado do Cerro Armazones no norte do Chile
Comparação entre as cúpulas de grandes telescópios futuros
Comparação entre as cúpulas de grandes telescópios futuros
Mapa das novas ligações do Paranal e do Armazones à rede elétrica chilena
Mapa das novas ligações do Paranal e do Armazones à rede elétrica chilena
Mosaico do ELT feito a partir de retratos do pessoal do ESO
Mosaico do ELT feito a partir de retratos do pessoal do ESO
Placa hexagonal que sela a cápsula do tempo do ELT
Placa hexagonal que sela a cápsula do tempo do ELT
Instrumentos do ELT
Instrumentos do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet Jeria, coloca a primeira pedra do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet Jeria, coloca a primeira pedra do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet Jeria, coloca a pedra fundamental do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet Jeria, coloca a pedra fundamental do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet Jeria, coloca a pedra fundamental do ELT
A Presidente do Chile, Michelle Bachelet Jeria, coloca a pedra fundamental do ELT
Pessoal do ESO e convidados no Cerro Armazones
Pessoal do ESO e convidados no Cerro Armazones
Distintos convidados na cerimônia de colocação da primeira pedra do ELT
Distintos convidados na cerimônia de colocação da primeira pedra do ELT
Inauguration of the Armazones Substation
Inauguration of the Armazones Substation
somente em inglês
Past, present and future Directors General of ESO as of May 2017
Past, present and future Directors General of ESO as of May 2017
somente em inglês

Vídeos

ESOcast Light 108: Início da construção da cúpula e estrutura do ELT (4K UHD)
ESOcast Light 108: Início da construção da cúpula e estrutura do ELT (4K UHD)
Voando até ao ELT
Voando até ao ELT
Voando até ao ELT
Voando até ao ELT
Concepção artística do ELT no Cerro Armazones
Concepção artística do ELT no Cerro Armazones
Olhando de frente para o ELT
Olhando de frente para o ELT
Trailer do ELT
Trailer do ELT
B-roll material from ELT First Light
B-roll material from ELT First Light
somente em inglês

Veja também