Telescópios e Instrumentação

Tal como consta da sua Convenção, o ESO põe à disposição dos astró(ô)nomos da Europa instalações de ponta, além de promover e organizar a cooperação na investigação/pesquisa em astronomia. Atualmente, o ESO opera os maiores e mais sofisticados observatórios do mundo, em três locais no norte do Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. Estes são os melhores locais no hemisfério sul para a observação astronó(ô)mica. Com outras atividades tais como, desenvolvimento tecnológico, conferências e projetos educacionais, o ESO desempenha também um papel decisivo na formação de uma Área Europeia de Investigação para a astronomia e astrofísica.

Instrumentação no Observatório do Paranal

O Very Large Telescope (VLT) no Cerro Paranal, é o principal local de observações do ESO, operando no visível e infravermelho. Os quatro telescópios de 8.2 metros de diâmetro estão em operação individualmente, dotados de muitos instrumentos.

O VLT oferece também a possibilidade de combinar a radiação coletada pelos quatro telescópios de modo a trabalhar como um interferómetro. O Interferómetro do Very Large Telescope (VLTI), com a sua própria coleção de instrumentos, disponibiliza imagens com a precisão de um milésimo de segundo de arco e astrometria com uma precisão de 10 microsegundos de arco. Para além dos telescópios com 8.2 metros de diâmetro, o VLTI conta também com quatro Telescópios Auxiliares (AT) de 1.8 metros de diâmetro, o que aumenta as suas capacidades de obter imagens, ao mesmo tempo que permite a utilização da infraestrutura todas as noites do ano.

Dois telescópios de rastreio estão também em operação no Paranal, o VLT Survey Telescope (VST, 2.6 metros de diâmetro) que trabalha na região do visível e o Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy (VISTA, 4.1 metros de diâmetro) que opera nas regiões do infravermelho.

Veja o VLT nos mapas Google e com fotografias do público.

Instrumentação do Observatório de La Silla

O ESO opera três telescópios principais no Observatório de La Silla (o telescópio de 3.6 metros, o New Technology Telescope (NTT), e o telescópio de 2.2 metros Max-Planck-ESO). Estes telescópios encontram-se equipados com instrumentos de vanguarda, construídos ou pelo próprio ESO ou por consórcios externos, com uma contribuição substancial do ESO.

Veja La Silla nos Mapas Google e com fotografias tiradas pelo público.

 

APEX

APEX, the Atacama Pathfinder Experiment, é uma colaboração entre o Instituto Max Planck para a Rádio Astronomia (MPIfR) a 50%, o Observatório Espacial Onsala (OSO) a 23% e o Observatório Europeu do Sul (ESO) a 27%, para construir e operar um protótipo de uma antena modificada do ALMA como uma antena única a 5100 metros de altitude no Llano Chajnantor. O telescópio foi fornecido pelo VERTEX Antennentechnik in Duisburg, na Alemanha. O APEX dispõe de espectró(ô)metros heteródinos e câmaras bolométricas de grande campo e trabalha na maior parte das janelas atmosféricas entre os 0.2 e os 1.4 mm. O ESO opera o telescópio.

Veja o local do Chajnantor nos Mapas Google com imagens tiradas pelo público.