ann14057-pt — Anúncio

Parque solar vai ser instalado em La Silla

21 de Julho de 2014

No âmbito de uma iniciativa amiga do ambiente, o ESO assinou um acordo com a companhia chilena, Astronomia e Energia (uma subsidiária do Grupo LKS espanhol) para instalar um parque solar no Observatório de La Silla. O ESO trabalha há várias anos em soluções amigas do ambiente para fornecer energia aos seus observatórios, trabalho esse que começa agora a dar frutos. Num futuro próximo, produtos recicláveis serão vitais para satisfazer necessidades energéticas de maneira sustentável.

O programa ambicioso do ESO foca-se em conseguir a mais alta qualidade na investigação astronómica. Este objetivo passa pela conceção, construção e operação das infraestruturas terrestres mais poderosas do mundo. No entanto, as operações levadas a cabo nos observatórios do ESO apresentam desafios consideráveis em termos de gastos de energia.

Apesar da abundância de luz solar nos locais do ESO [1], não foi possível até agora tirar partido desta fonte natural de energia através do seu uso eficiente. A empresa Astronomia e Energia fornecerá um meio eficiente de explorar a energia solar utilizando módulos fotovoltaicos cristalinos (painéis solares), os quais serão instalados em La Silla.

A instalação cobrirá uma área de mais de 100 000 metros quadrados, com o intuito de fornecer energia ao local já no final deste ano.

A paisagem energética global modificou-se consideravelmente nos últimos 20 anos. À medida que o preço da energia aumenta e varia de modo imprevisível, o ESO tem tentado arranjar alternativas para controlar os seus custos energéticos e também limitar o impacto ecológico. A organização conseguiu já diminuir o seu consumo de energia em La Silla e, apesar da chegada dos telescópios de rastreio VISTA e VST, a energia consumida no Observatório do Paranal tem-se mantido estável nos últimos anos.

A eficiência muito aumentada das células solares significa que estas se tornaram uma alternativa viável para a utilização da energia solar. As células solares de última geração são consideradas muito fiáveis e quase que não precisam de manutenção, características que contribuem para uma alta disponibilidade de energia eléctrica, necessária nos observatórios astronómicos.

Olhando para o futuro, o ESO procurará fontes de energia sustentável compatíveis com todos os seus locais de observação, incluindo o Cerro Armazones - localizado próximo do Cerro Paranal e onde será instalado o futuro European Extremely Large Telescope (E-ELT). Este objetivo será alcançado não apenas pela instalação de fontes primárias de energia renovável, como em La Silla, mas também por ligações aos sistemas de energia chilenos, onde fontes de energia renovável não convencionais constituem cada vez mais uma parcela da energia a consumir.

A instalação de um parque solar em La Silla é uma de entre uma série de iniciativas que estão a ser levadas a cabo pelo ESO no sentido de compreender e minimizar o impacto ambiental que as suas operações produzem, como explicitado aqui. A energia verde é fortemente apoiada pelo governo chileno, que pretende igualmente aumentar a energia verde chilena para 25% em 2020, com um possível objetivo de 30% até 2030.

Notas

[1] As infraestruturas de observação do ESO dão aos astrónomos cerca de 320 noites límpidas por ano, em média, nos Observatórios de La Silla e Paranal; ou seja os dias límpidos fornecem luz solar em abundância durante a maior parte do ano.

Mais informação

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é o observatório astronómico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrónomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronómico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projeto astronómico que existe atualmente. O ESO encontra-se a planear o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio de 39 metros que observará na banda do visível e do infravermelho próximo. O E-ELT será “o maior olho do mundo virado para o céu”.

Links

Contactos

Roberto Tamai
E-ELT Programme Manager
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6367
Email: rtamai@eso.org

Lars Lindberg Christensen
Head of ESO ePOD
ESO ePOD, Garching, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6761
Telm: +49 173 3872 621
E-mail: lars@eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann14057

Imagens

Parque solar no Observatório de La Silla
Parque solar no Observatório de La Silla
Agreement signed for solar farm to be installed at La Silla
Agreement signed for solar farm to be installed at La Silla
apenas em inglês