ann17049-pt — Anúncio

Ministro da Energia chileno assiste à ligação do Paranal à rede elétrica nacional

4 de Agosto de 2017

O Ministro da Energia chileno, Andrés Rebolledo, assistiu recentemente a uma cerimónia que marcou a ligação à rede elétrica nacional chilena dos locais do Paranal e do Armazones do ESO. É neste último que ficará instalado o Extremely Large Telescope (ELT). O novo fornecimento de eletricidade irá reduzir custos e reduzirá ainda a pegada de carbono do observatório.

O Ministro Rebolledo referiu a importância deste desenvolvimento como um exemplo da capacidade da rede elétrica chilena em fornecer uma energia segura e de alta qualidade à investigação astronómica de vanguarda.

Roberto Tamai, Gestor de Programa do ELT, que foi também Gestor de Projeto desta atualização do ESO, agradeceu ao governo chileno e respetivas instituições por ajudarem a criar a infraestrutura energética que irá apoiar o progresso nos locais do ESO. Com o seu espelho primário de 39 metros, a construção do ELT constitui um desafio tecnológico e de engenharia. Tamai destacou o facto do fornecimento de eletricidade ser uma parte crucial da infraestrutura que nos irá permitir investigar algumas da maiores questões da atualidade: Onde começámos? Onde acabaremos? Estaremos sós no Universo?

A ligação do Paranal e do Armazones à rede elétrica chilena tornou-se possível graças ao Grupo SAESA, a companhia que é agora responsável por fornecer energia de forma sustentável e permanente ao Observatório do Paranal e ao local do ELT. Como estes locais são muito remotos, situados a 130 km de Antofagasta no meio do deserto do Atacama, o projeto apresentou desafios significativos que foram, no entanto, ultrapassados graças aos esforços de mais de 300 trabalhadores. O resultado inclui um sistema de transmissão de 66 kV de 50 km de comprimento, com duas subestações: uma em Paposo (220/66 kV), a subestação do Paranal, e outra colocada entre o Paranal e o Armazones (66/23kV), a subestação do Armazones.

A ligação reduz igualmente a pegada de carbono do Paranal e do Armazones, uma vez que já não serão utilizados combustíveis fósseis em geradores para produzir energia. No seu discurso, Roberto Tamai destacou ainda que a expansão da rede elétrica trouxe benefícios adicionais, uma vez que tira partido da abundante luz solar para a produção de energia limpa, que pode ser injetada no sistema elétrico nacional.

O ELT fará do Universo o derradeiro laboratório científico, fazendo observações que são atualmente impossíveis de realizar com qualquer dos telescópios terrestres existentes, para responder a algumas das mais prementes questões astronómicas do nosso tempo. Espera-se que o ELT veja a sua primeira luz em 2024.

Mais informação

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é de longe o observatório astronómico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 16 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça, assim como pelo Chile, o país de acolhimento. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e operação de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrónomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronómico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é um parceiro principal no ALMA, o maior projeto astronómico que existe atualmente. E no Cerro Armazones, próximo do Paranal, o ESO está a construir o European Extremely Large Telescope (E-ELT) de 39 metros, que será “o maior olho do mundo virado para o céu”.

Links

Contactos

Richard Hook
ESO Public Information Officer
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6655
Email: rhook@eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann17049

Imagens

Locais do Paranal e Armazones do ESO ligados à rede elétrica nacional chilena
Locais do Paranal e Armazones do ESO ligados à rede elétrica nacional chilena
No local do Paranal e Armazones do ESO para a cerimónia de ligação à rede elétrica nacional chilena
No local do Paranal e Armazones do ESO para a cerimónia de ligação à rede elétrica nacional chilena