Nuvem inesperada em torno de estrela enorme

Esta nova imagem do Telescópio de Rastreio do VLT (VST), instalado no Observatório do Paranal do ESO, mostra o super enxame estelar Westerlund 1 (eso1034). Este enxame excepcionalmente brilhante situa-se a cerca de 16 000 anos-luz de distância da Terra na constelação austral do Altar. O enxame contém centenas de estrelas muito brilhantes de elevada massa, todas com uma idade de apenas alguns milhões de anos - bebés pelos padrões estelares. No entanto, torna-se difícil observar este enxame devido ao gás e poeira que impedem que a maior parte da radiação visível emitida pelas estrelas chegue até à Terra. 

Agora, ao estudarem imagens do Westerlund 1 com o auxílio de um novo rastreio do céu austral [1], os astrónomos descobriram algo inesperado neste enxame. Em torno de uma das estrelas - uma supergigante vermelha chamada W26 e possivelmente a maior estrela que se conhece - descobriram nuvens de hidrogénio brilhante, as quais aparecem nesta nova imagem a verde.

Tais nuvens brilhantes em torno de estrelas de elevada massa são muito raras, sendo ainda mais raro aparecerem em torno de uma supergigante vermelha - esta é a primeira nebulosa ionizada descoberta em torno de um tal tipo de estrelas. A W26 propriamente dita deverá ser fria demais para fazer com que o gás brilhe, por isso os astrónomos suspeitam que a fonte de radiação ionizante seja, ou estrelas quentes azuis situadas noutra zona do enxame ou uma estrela mais ténue mas muito mais quente, companheira da W26.

A W26 irá eventualmente explodir sob a forma de supernova. A nebulosa que a rodeia é muito semelhante à nebulosa que circunda a SN1987a, os restos de uma estrela que explodiu sob a forma de supernova em 1987 [2]. A SN1987a foi a supernova que se observou mais próxima da Terra desde 1604, tendo dado por isso aos astrónomos a oportunidade de explorar as propriedades destas explosões. Estudar objetos como esta nova nebulosa em torno da W26 ajudará os astrónomos a compreender os processos de perda de massa em torno de estrelas de elevada massa, os quais levam eventualmente ao seu fim explosivo.

Notas

[1] Esta imagem faz parte de um rastreio público detalhado chamado VPHAS+, que está a ser efectuado a uma grande região da Via Láctea e que, utilizando o poder do VST, se encontra a procurar novos objetos tais como estrelas jovens e nebulosas planetárias. Foi criada uma imagem recente da Nebulosa do Camarão a partir de observações do mesmo rastreio.

[2] Pensa-se que esta nebulosa circundava a estrela progenitora da SN1987A antes desta ter explodido sob a forma de supernova.

Links

Créditos:

ESO/VPHAS+ Survey/N. Wright

Sobre a imagem

Id:potw1341a
Língua:pt
Tipo:Observação
Data de divulgação:14 de Outubro de 2013 às 10:00
Tamanho:4222 x 2703 px

Sobre o objeto

Nome:W26, Westerlund 1
Tipo:• Local Universe : Star : Evolutionary Stage : Red Supergiant
• Local Universe : Star : Grouping : Cluster
• X - Stars
• X - Star Clusters
Distância:15000 anos-luz
Constelação:Ara

Formatos de imagens

JPEG grande
7,1 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
521,8 KB
1280x1024
817,2 KB
1600x1200
1,1 MB
1920x1200
1,4 MB
2048x1536
1,9 MB

Coordenadas

Position (RA):16 47 3.24
Position (Dec):-45° 50' 44.76"
Field of view:14.98 x 9.59 arcminutes
Orientação:O norte está a 0.3° à esquerda da vertical

Cores e filtros

BandaTelescópio
Óptico
H-alpha
VLT Survey Telescope
Infravermelho
I
VLT Survey Telescope
Óptico
R
VLT Survey Telescope
Óptico
G
VLT Survey Telescope

 

Veja também