Notas de Imprensa 2012

Assine as Notícias do ESO
eso1233pt — Foto de Imprensa
Ceci n´est pas une pipe
15 de Agosto de 2012: Tal como René Magritte escreveu “Isto não é um cachimbo” na sua famosa pintura, também isto não é um cachimbo. É, no entanto, uma imagem de parte de uma vasta nuvem escura de poeira interestelar chamada Nebulosa do Cachimbo. Esta nova imagem extremamente detalhada do objeto, que também é conhecido como Barnard 59, foi obtida com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros instalado no Observatório de La Silla do ESO. Por coincidência, esta imagem aparece precisamente no 45º aniversário da morte do pintor.
eso1232pt — Nota de Imprensa Institucional
Escolha o que o VLT vai observar & Tweet até ao VLT!
8 de Agosto de 2012: O ESO constrói e opera alguns dos mais avançados telescópios terrestres, incluindo o Very Large Telescope (VLT) instalado no Observatório do Paranal. Estas enormes máquinas têm feito descobertas extraordinárias sobre o Universo. Agora, pela primeira vez, você poderá decidir o que o VLT vai observar e até ganhar uma fantástica viagem ao deserto do Atacama no Chile, para ajudar a fazer as observações você mesmo.
eso1231pt — Foto de Imprensa
Um Redemoinho Azul no Rio
1 de Agosto de 2012: Uma nova imagem obtida com o Very Large Telescope do ESO mostra a galáxia NGC 1187. Esta espiral impressionante situa-se a cerca de 60 milhões de anos-luz de distância na constelação do Erídano (O Rio).Observou-se na NGC 1187 duas explosões de supernova nos últimos trinta anos, a última das quais em 2007. Esta nova imagem da galáxia é a mais detalhada obtida até agora.
eso1230pt — Nota de Imprensa Científica
As estrelas mais brilhantes não vivem sozinhas
26 de Julho de 2012: Um novo estudo que utilizou o Very Large Telescope do ESO (VLT) mostrou que a maioria das estrelas brilhantes de elevada massa, responsáveis pela evolução das galáxias, não vivem isoladas. Quase três quartos destas estrelas têm uma companheira próxima, o que é muito mais do que o suposto anteriormente. Surpreendentemente, a maior parte destes pares interagem de modo violento, havendo, por exemplo, transferência de massa de uma estrela para a outra. Pensa-se que cerca de um terço destes pares acabará por se fundir, formando uma única estrela. Os resultados serão publicados na revista Science a 27 de Julho de 2012.
eso1229pt — Nota de Imprensa Institucional
APEX participa na observação mais precisa de sempre
18 de Julho de 2012: Uma equipa internacional de astrónomos observou o coração de um quasar distante com uma precisão sem precedentes, dois milhões de vezes melhor que a da visão humana. As observações, obtidas ao ligar pela primeira vez o telescópio Atacama Pathfinder Experiment (APEX) [1] com dois outros telescópios situados em continentes diferentes, são um passo crucial em direção ao objetivo científico do projeto “Telescópio de Horizonte de Acontecimentos” [2]: obter imagens de buracos negros de grande massa situados no centro da nossa própria Galáxia e de outras galáxias.
eso1228pt — Nota de Imprensa Científica
Encontradas pela primeira vez galáxias escuras no Universo primordial
11 de Julho de 2012: Foram encontradas pela primeira vez galáxias escuras - uma fase inicial da formação de galáxias prevista pela teoria mas que até agora nunca tinha sido observada. Estes objetos são essencialmente galáxias ricas em gás mas sem estrelas. Utilizando o Very Large Telescope do ESO, uma equipa internacional detectou estes objetos evasivos ao observá-los a brilhar devido a estarem a ser iluminados por um quasar.
eso1227pt — Nota de Imprensa Científica
Nova maneira de estudar atmosferas de exoplanetas
27 de Junho de 2012: Uma nova técnica permitiu aos astrónomos estudarem pela primeira vez, a atmosfera de um exoplaneta em detalhe - embora este não passe em frente da sua estrela hospedeira. Uma equipa internacional utilizou o Very Large Telescope do ESO para captar diretamente o fraco brilho do planeta tau Boötis b. A equipa estudou a atmosfera do planeta e determinou pela primeira vez a sua órbita e massa de forma precisa - resolvendo assim um velho problema de 15 anos. Surpreendentemente, a equipa também descobriu que a atmosfera do planeta parece ser mais fria a maior altitude, o contrário do que se esperava. Os resultados serão publicados na revista Nature a 28 de Junho de 2012.
eso1226pt — Foto de Imprensa
VLT olha de perto para a NGC 6357
20 de Junho de 2012: O Very Large Telescope do ESO (VLT) obteve a imagem mais detalhada de sempre de uma zona espetacular da maternidade estelar chamada NGC 6357. Esta imagem mostra muitas estrelas quentes jovens, nuvens brilhantes de gás e formações de poeira esculpidas de forma estranha por radiação ultravioleta e ventos estelares.
eso1225pt — Nota de Imprensa Institucional
O ESO vai construir o maior olho no céu do mundo
11 de Junho de 2012: O ESO vai construir o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo. O Conselho do ESO aprovou na reunião de hoje, em Garching, o Programa European Extremely Large Telescope (E-ELT), sujeito a confirmação de quatro votos ad referendum [1]. O E-ELT começará as operações no início da próxima década.
eso1224pt — Nota de Imprensa Institucional
O Rei de Espanha visita o Observatório do Paranal do ESO
7 de Junho de 2012: Na quarta-feira dia 6 de Junho Sua Majestade o Rei de Espanha, Juan Carlos I, visitou o Observatório do Paranal do ESO, onde se encontrou com os Presidentes do Chile, Colômbia, México e Peru, assim como com outros altos representantes, que estavam presentes no Paranal para a IV Cimeira da Aliança do Pacífico.
eso1223pt — Nota de Imprensa Institucional
IV Cimeira da Aliança do Pacífico no Observatório do Paranal do ESO
6 de Junho de 2012: Os presidentes do Chile, Colômbia, México e Peru encontraram-se hoje no Observatório do Paranal do ESO no deserto do Atacama, Chile, tendo tido a oportunidade de observar em primeira mão os telescópios e tecnologia de vanguarda do observatório mais emblemático do ESO. Os presidentes reuniram-se no Paranal para a IV Cimeira da Aliança do Pacífico, durante a qual o Tratado Constitutivo da Aliança foi ratificado.
eso1222pt — Foto de Imprensa
ALMA vira os seus olhos para Centaurus A
31 de Maio de 2012: Uma nova imagem do centro da original galáxia Centaurus A, obtida com o Atacama Large Millimeter/submillimiter Array (ALMA), mostra como este novo observatório permite aos astrónomos observar através das opacas camadas de poeira que obscurecem o centro da galáxia, com uma qualidade nunca antes alcançada. O ALMA está atualmente em fase preliminar de observações científicas, já que se encontra ainda em construção. No entanto, é já o telescópio mais potente do seu género. O observatório acaba de emitir uma Chamada de Propostas para o seu próximo ciclo de observações, durante o qual o telescópio, em crescimento, terá ainda mais capacidades.
eso1221pt — Foto de Imprensa
Um olhar profundo à Centaurus A
16 de Maio de 2012: Esta nova imagem do Observatório Europeu do Sul mostra-nos a estranha galáxia Centaurus A. Com um tempo total de exposição de mais de 50 horas, esta é provavelmente a imagem mais profunda alguma vez criada deste espectacular e invulgar objeto. A imagem foi produzida com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros, instalado no Observatório de La Silla do ESO, no Chile.
eso1220pt — Foto de Imprensa
VISTA observa uma enorme “bola” de estrelas
9 de Maio de 2012: Uma nova imagem de Messier 55, obtida com o telescópio de rastreio infravermelho VISTA, mostra dezenas de milhares de estrelas muito juntas tal qual um enxame de abelhas. Para além de estarem todas confinadas num espaço relativamente pequeno, estas estrelas encontram-se também entre as mais velhas do Universo. Os astrónomos estudam o Messier 55 e outros objetos antigos, chamados enxames globulares, no intuito de compreenderem como é que as galáxias evoluem e as estrelas envelhecem.
eso1219pt — Foto de Imprensa
Peneirando Poeira Cósmica próximo do Cinturão de Orion
2 de Maio de 2012: Uma nova imagem da região que rodeia a nebulosa de reflexão Messier 78, situada mesmo a norte do Cinturão de Orion, mostra nuvens de poeira cósmica entrelaçadas na nebulosa tal qual um colar de pérolas. As observações, obtidas com o Atacama Pathfinder Experiment (APEX) [1], utilizam o brilho de calor dos grãos de poeira interestelar para mostrar aos astrónomos onde é que novas estrelas se estão a formar.
eso1218pt — Foto de Imprensa
Um enxame dentro dum enxame
25 de Abril de 2012: Esta nova imagem, obtida com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros, instalado no Observatório de La Silla, no Chile, mostra o enxame estelar NGC 6604. Este enxame é muitas vezes ignorado devido ao seu vizinho próximo, mais proeminente, a nebulosa da Águia. No entanto, o enquadramento desta imagem, que coloca o enxame estelar no meio de uma paisagem de nuvens de gás e poeira, mostra como o NGC 6604 é, por direito próprio, um objeto bonito.
eso1217pt — Nota de Imprensa Científica
Teorias sobre matéria escura comprometidas?
18 de Abril de 2012: O estudo mais preciso sobre os movimentos de estrelas na Via Láctea não mostrou evidências da existência de grandes quantidades de matéria escura na vizinhança do Sol. De acordo com as teorias geralmente aceites, a vizinhança do Sol deveria estar cheia de matéria escura, a matéria invisível misteriosa que só pode ser detectada de modo indireto pela força gravitacional que exerce. No entanto, um novo estudo de uma equipa de astrónomos no Chile descobriu que estas teorias afinal não explicam os dados observados, o que pode significar que tentativas de detectar directamente partículas de matéria escura na Terra dificilmente serão bem sucedidas.
eso1216pt — Nota de Imprensa Científica
ALMA revela o funcionamento de um sistema planetário próximo
12 de Abril de 2012: Um novo observatório ainda em construção forneceu aos astrónomos importantes pistas na compreensão de um sistema planetário próximo, no sentido de sabermos como é que estes sistemas se formam e evoluem. Os astrónomos utilizaram o Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) e descobriram que os planetas que orbitam a estrela Fomalhaut são muito mais pequenos do que o inicialmente suposto. Este é o primeiro resultado científico publicado correspondente ao primeiro período de observações científicas do ALMA abertas aos astrónomos de todo o mundo.
eso1215pt — Nota de Imprensa Institucional
ESO expande a sua Sede
4 de Abril de 2012: O Observatório Europeu do Sul (ESO) contratou arquitectos da Auer+Weber para desenharem uma extensão da sua Sede em Garching bei Munchen, Alemanha. O estilo inovador do novo edifício de gabinetes ajudará a albergar o número crescente de pessoal que trabalha em Garching e será o berço das inovações tecnológicas necessárias aos ambiciosos projetos do ESO, tais como o European Extremely Large Telescope. Com o término da construção previsto para o final de 2013, a nova Sede do ESO contribuirá grandemente para o desenvolvimento do campus de investigação em Garching.
eso1214pt — Nota de Imprensa Científica
Muitos milhares de milhões de planetas rochosos nas zonas habitáveis de estrelas anãs vermelhas na Via Láctea
28 de Março de 2012: Um novo resultado do instrumento HARPS, o descobridor de planetas do ESO, mostra que os planetas rochosos não muito maiores que a Terra são bastante comuns nas zonas habitáveis em torno das estrelas vermelhas de fraca luminosidade. Uma equipa internacional de astrónomos estimou que existam dezenas de milhares de milhões de tais planetas só na galáxia da Via Láctea e provavelmente cerca de uma centena na vizinhança imediata do Sol. Esta é a primeira medição direta da frequência de super-Terras em torno de anãs vermelhas, as quais constituem cerca de 80% de todas as estrelas da Via Láctea.
Mostrar 21 até 40 de 53