Notas de Imprensa

Assine as Notícias do ESO
eso1047pt — Nota de Imprensa Científica
Analisada Primeira Atmosfera de Super-Terra
1 de Dezembro de 2010: A atmosfera de um exoplaneta do tipo super-Terra foi analisada pela primeira vez por uma equipa internacional de astrónomos utilizando o Very Large Telescope do ESO. O planeta, conhecido como GJ 1214b, foi estudado à medida que passava em frente da sua estrela hospedeira e alguma da radiação estelar atravessava a atmosfera do planeta. Sabemos agora que a atmosfera é composta essencialmente por água, ou sob a forma de vapor ou dominada por nuvens espessas ou névoas. Os resultados sairão na revista Nature no número de 2 de Dezembro de 2010.
eso1046pt — Nota de Imprensa Científica
Resolvido Mistério de Estrela Pulsante
24 de Novembro de 2010: Ao descobrir a primeira estrela dupla onde uma Cefeide variável pulsante e outra estrela passam em frente uma da outra, uma equipa internacional de astrónomos desvendou um mistério de décadas. O alinhamento raro das órbitas das duas estrelas no sistema estelar duplo permitiu fazer uma medição da massa da Cefeide com uma precisão sem precedentes. Até agora, os astrónomos dispunham de duas previsões teóricas incompatíveis para a massa das Cefeides. O novo resultado mostra que a predição vinda da teoria da pulsação estelar está correcta, enquanto que a predição feita a partir da teoria de evolução estelar não está de acordo com as novas observações.
eso1045pt — Nota de Imprensa Científica
Descoberto Planeta de Origem Extragaláctica
18 de Novembro de 2010: Utilizando o telescópio MPG/ESO de 2.2 metros instalado no Observatório de La Silla do ESO, no Chile, uma equipa europeia de astrónomos detectou um exoplaneta em órbita de uma estrela que entrou na nossa Via Láctea vinda de outra galáxia. O planeta do tipo de Júpiter é particularmente invulgar, já que orbita uma estrela que se aproxima do final da sua vida e pode ser engolido pela estrela a todo o momento, fornecendo assim pistas importantes sobre o destino do nosso próprio sistema planetário num futuro distante.
eso1044pt — Foto de Imprensa
Átomos pela Paz: Uma Colisão Galáctica em Acção
10 de Novembro de 2010: Astrónomos do Observatório Europeu do Sul produziram uma imagem espectacular da famosa galáxia Átomos pela Paz (NGC 7252). Este amontoado galáctico que se formou da colisão de duas galáxias, fornece aos astrónomos uma excelente oportunidade de estudar quais os efeitos da fusão de galáxias na evolução do Universo.
eso1043pt — Nota de Imprensa Institucional
EVALSO: Nova Linha de Dados de Alta Velocidade Liga Observatórios Chilenos
4 de Novembro de 2010: Estendendo-se por 100 quilómetros através do rigoroso Deserto do Atacama no Chile, um cabo de dados agora inaugurado está a criar novas oportunidades no Observatório do Paranal do ESO e no Observatório Cerro Armazones. A ligação destas infraestruturas ao principal banco de dados científicos da América Latina completa o último troço da linha de alta velocidade entre estes observatórios e a Europa.
eso1042pt — Foto de Imprensa
Galáxias Espirais Despidas
27 de Outubro de 2010: Seis magníficas galáxias espirais foram observadas sob uma nova luz pelo Very Large Telescope do ESO (VLT) no Observatório do Paranal, Chile. As imagens foram obtidas no infravermelho com a câmara HAWK-I e ajudarão os astrónomos a compreender como se formam e evoluem as extraordinárias formas espirais das galáxias.
eso1041pt — Nota de Imprensa Científica
Limpando o Nevoeiro Cósmico
20 de Outubro de 2010: Uma equipa de astrónomos europeus utilizou o Very Large Telescope (VLT) do ESO para medir a distância à galáxia mais distante conhecida até hoje. Ao analisar cuidadosamente a fraca luminosidade da galáxia, a equipa descobriu que está na realidade a observar esta galáxia quando o Universo tinha apenas 600 milhões de anos (o que corresponde a um desvio para o vermelho de 8.6). Estas são as primeiras observações confirmadas de uma galáxia cuja radiação está a dissipar o denso nevoeiro de hidrogénio que enchia o Universo primordial. Estes resultados aparecem no número desta semana da revista Nature.
eso1040pt — Nota de Imprensa Científica
Crescimento Lento de Galáxias
13 de Outubro de 2010: Novas Observações do Very Large Telescope do ESO forneceram, pela primeira vez, provas directas de que as galáxias jovens podem crescer ao incorporarem gás frio que se encontra ao seu redor, utilizando-o como combustível na formação de muitas estrelas novas. Nos primeiros milhares de milhões de anos depois do Big Bang a massa das galáxias típicas aumentou dramaticamente e compreender porque é que isto aconteceu é um dos actuais problemas da astrofísica moderna. Os resultados saem no número desta semana da revista Nature.
eso1039pt — Foto de Imprensa
VISTA Revela o Segredo do Unicórnio
6 de Outubro de 2010: Uma nova imagem infravermelha obtida pelo telescópio de rastreio VISTA do ESO revela uma paisagem extraordinária de tentáculos de gás brilhantes, nuvens escuras e estrelas jovens na constelação do Unicórnio (Monoceros). Esta região de formação estelar, conhecida como Monoceros R2, encontra-se embebida numa imensa nuvem escura. Quando observada no visível esta região encontra-se praticamente toda obscurecida por poeira interestelar mas no infravermelho torna-se espectacular.
eso1038pt — Foto de Imprensa
Uma Galáxia Elegante Numa Luz Invulgar
22 de Setembro de 2010: A nova imagem obtida com a poderosa câmara HAWK-I montada no Very Large Telescope do ESO, no Observatório do Paranal, Chile, mostra a galáxia NGC 1365 no infravermelho, uma bela galáxia espiral barrada. NGC 1365 faz parte do enxame de galáxias Fornax, situado a cerca de 60 milhões de anos-luz de distância da Terra.
eso1037pt — Foto de Imprensa
Um Exemplar Galáctico Próximo
8 de Setembro de 2010: O ESO divulgou uma nova imagem espectacular da NGC 300, uma galáxia espiral semelhante à Via Láctea, situada próximo de nós no Grupo de Galáxias do Escultor. Obtida com o instrumento Wide Field Imager (WFI), no Observatório de La Silla do ESO, Chile, esta imagem, adquirida num total de tempo de exposição de 50 horas, revela a estrutura da galáxia em grande detalhe. A NGC 300 situa-se a cerca de seis milhões de anos-luz de distância e aparenta ter cerca de dois terços do tamanho da Lua Cheia no céu.
eso1036pt — Foto de Imprensa
NGC 4666: uma Galáxia com Super-Vento
1 de Setembro de 2010: A Galáxia NGC 4666 tem a honra de estar no centro desta nova imagem, obtida no visível com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros no Observatório de La Silla, Chile. NGC 4666 é uma galáxia que apresenta formação estelar intensa e um invulgar “super-vento” de gás. Já tinha sido observada em raios X pelo telescópio espacial da ESA XMM-Newton, e a imagem aqui apresentada foi obtida no intuito de estudar outros objectos detectados anteriormente por estas observações em raios X.
eso1035pt — Nota de Imprensa Científica
Descoberto o Sistema Planetário Mais Rico em Planetas Conhecido Até Agora
24 de Agosto de 2010: Com o auxilio do instrumento HARPS do ESO, uma equipa de astrónomos descobriu um sistema planetário com, pelo menos, cinco planetas em órbita de uma estrela do tipo solar, HD 10180. Os investigadores têm também fortes evidências da existência de mais dois planetas, sendo que um deles terá a menor massa encontrada até agora. Este facto tornará este sistema semelhante ao nosso próprio Sistema Solar em termos do número de planetas (sete planetas em vez dos nossos oito). Adicionalmente, a equipa encontrou evidências de que as distâncias dos planetas à sua estrela seguem um padrão regular, como é o caso do Sistema Solar.
eso1034pt — Nota de Imprensa Científica
Que Quantidade de Massa Dá Origem a um Buraco Negro?
18 de Agosto de 2010: Utilizando o Very Large Telescope do ESO, astrónomos europeus demonstraram, pela primeira vez, que uma estrela magnética - um tipo invulgar de estrela de neutrões - se formou a partir de uma estrela com pelo menos 40 vezes a massa do Sol. O resultado desafia grandemente as actuais teorias de evolução estelar, uma vez que, segundo estas teorias, uma estrela com massa desta magnitude deveria transformar-se num buraco negro, e não numa estrela magnética. Levanta-se assim uma questão fundamental: que quantidade de massa deve possuir uma estrela para dar origem a um buraco negro?
eso1033pt — Foto de Imprensa
Rastreio Ambicioso Descobre Maternidades Estelares
11 de Agosto de 2010: Uma imagem espectacular da Nebulosa da Tarântula, situada na nossa vizinhança galáctica, na Grande Nuvem de Magalhães, foi obtida pelo VISTA, telescópio de rastreio do ESO. Esta vista panorâmica no infravermelho próximo capturou a própria nebulosa em grande detalhe, assim como o seu meio envolvente. A imagem foi obtida no início dum rastreio bastante ambicioso das nossas galáxias vizinhas, as Nuvens de Magalhães, e do seu respectivo meio circundante.
eso1032pt — Nota de Imprensa Científica
Observando uma Explosão Estelar em 3D
4 de Agosto de 2010: Utilizando o Very Large Telescope do ESO, os astrónomos obtiveram pela primeira vez uma imagem tridimensional da distribuição do material mais interior expelido por uma estrela que acabou de explodir. De acordo com os novos resultados, a explosão original foi intensa e teve uma direcção privilegiada, o que constitui uma forte indicação de que a supernova terá sido muito turbulenta, corroborando assim os mais recentes modelos computacionais.
eso1031pt — Foto de Imprensa
Estrela Brilhante em Vizinhança Colorida
28 de Julho de 2010: Uma nova imagem espectacular obtida com o instrumento Wide Field Imager do ESO, no Observatório de La Silla, Chile, mostra uma estrela brilhante invulgar, WR 22, assim como a sua vizinhança colorida. WR 22 é uma estrela muito quente e brilhante que se encontra a libertar a sua atmosfera para o espaço a uma taxa muitos milhões de vezes mais rápida que a do Sol. Esta estrela situa-se na região exterior da Nebulosa de Carina, onde se formou.
eso1030pt — Nota de Imprensa Científica
As Estrelas Tornaram-se Maiores
21 de Julho de 2010: Combinando instrumentos do Very Large Telescope do ESO, os astrónomos descobriram as estrelas de maior massa conhecidas até agora, uma delas com mais de 300 vezes a massa do Sol na altura do seu nascimento, ou seja, com duas vezes mais massa que o actual limite superior aceite de 150 massas solares. A existência destes monstros - milhões de vezes mais luminosos que o Sol, e que perdem massa através de poderosos ventos estelares - poderá bem responder à pergunta “Qual é a maior massa que podem ter as estrelas?”
eso1029pt — Nota de Imprensa Científica
Desvendando o Mistério da Formação de Estrelas de Grande Massa
14 de Julho de 2010: Os astrónomos obtiveram a primeira imagem de uma disco de poeiras que rodeia uma estrela bebé de grande massa, obtendo evidências directas de que as estrelas de grande massa se formam da mesma maneira que as suas irmãs mais pequenas. Esta descoberta, feita graças à combinação de observações obtidas por vários telescópios do ESO, aparece descrita num artigo que sai esta semana na revista Nature.
eso1028pt — Nota de Imprensa Científica
Buraco Negro Insufla Bolha Gigante
7 de Julho de 2010: Combinando observações obtidas com o Very Large Telescope do ESO e o telescópio de raios X Chandra da NASA, os astrónomos descobriram o mais poderoso par de jactos alguma vez observado, ejectado por um buraco negro estelar. Este objecto, também conhecido como um micro-quasar, insufla uma enorme bolha de gás quente, com uma dimensão de 1000 anos-luz, duas vezes maior e dezenas de vezes mais poderoso do que outros micro-quasares conhecidos. A descoberta deu origem a um artigo publicado esta semana na revista Nature.
Mostrar 201 até 220 de 274