Preparando uma revolução

A astronomia vive atualmente uma época dourada. As últimas décadas trouxeram descobertas fantásticas que impressionaram pessoas de todos os credos, desde os primeiros planetas extrasolares à aceleração do Universo, dominado ele próprio pelas ainda enigmáticas matéria escura e energia escura.

Artist impression of the E-ELTA Europa encontra-se na vanguarda de todas as áreas da astronomia contemporânea graças, em particular, aos observatórios terrestres operados pelo ESO, a organização científica e tecnológica intergovernamental em astronomia. O presente desafio é consolidar e fortalecer esta posição em termos de futuro, o que será conseguido através do novo conceito revolucionário de telescópio terrestre, o European Extremely Large Telescope (E-ELT), que contará com um desempenho muitas ordens de magnitude superior ao existente nos atuais observatórios. Um tal telescópio revolucionará provavelmente a nossa perceção do Universo, do mesmo modo que a luneta de Galileu o fez há 400 anos.

O European Extremely Large Telescope será um telescópio com um espelho primário segmentado de 39 metros. O Conselho do ESO aprovou a sua construção em 2011, tendo o local de instalação do telescópio sido já escolhido: no Cerro Armazones, a apenas 20 quilómetros do Cerro Paranal, onde se encontra instalado o Very Large Telescope. Prevê-se que a construção do E-ELT comece no final de 2013, com o início das operações previsto para o príncipio da próxima década.

O "olho" do telescópio será quase do tamanho de metade de um campo de futebol em diâmetro e coletará 15 vezes mais radiação do que os maiores telescópios óticos em funcionamente hoje em dia. O telescópio tem um inovador sistema de cinco espelhos, que inclui ótica adaptativa avançada para corrigir os efeitos de turbulência na atmosfera, obtendo imagens 15 vezes mais nítidas do que as obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA. O espelho principal será constituido por quase 1000 segmentos hexagonais.

 

Back            Next