ann18090-pt-br — Anúncio

Riccardo Giacconi (1931-2018)

Faleceu “pai da astronomia de raios X” e antigo Diretor Geral do ESO, chave do sucesso do Very Large Telescope do ESO

11 de Dezembro de 2018

O quinto Diretor Geral do ESO, Riccardo Giacconi, faleceu no passado domingo, dia 9 de Dezembro de 2018 com 87 anos de idade.

Riccardo Giacconi liderou o ESO de 1993 a 1999, num momento crucial da história desta organização. Era a época em que o ESO estava construindo a sua agora infraestrutura emblemática, o Very Large Telescope (VLT), no Cerro Paranal e dava início a uma parceria que te traduziria no Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA). O sucesso destes anos, e em particular a construção do VLT, colocaram o ESO no topo das organizações astronômicas mundiais, lugar que ocupa atualmente.

Riccardo Giacconi nasceu em Gênova, Itália, a 6 de Outubro de 1931. Obteve a sua graduação em Física e o seu doutoramento pela Universidade de Milão. Em 1956, dois anos após o doutoramento, mudou-se para os EUA, primeiro para a Universidade de Indiana e depois para a Universidade de Princeton para trabalhar no Laboratório de Raios Cósmicos de Princeton.

Depois do seu período em Princeton, Giacconi começou o trabalho com o qual ganhou o título de “pai da astronomia de raios-X”. Foi contratado pela American Science and Engineering para iniciar um programa de ciências espaciais, altura em que decidiu que o programa devia focar-se em observações nos raios-X. Esta decisão marcou definitivamente o início da astronomia de raios-X. Em 1962, Giacconi e o seu grupo descobriram Scorpius X-1, a primeira fonte de raios-X conhecida fora do Sistema Solar, e a radiação cósmica de fundo de raios-X.

Posso afirmar como astrônomo de raios-X que Riccardo Giacconi e os seus trabalhos iluminaram mais de três décadas da minha carreira, muito antes de eu vir para o ESO”, comentou Xavier Barcons, atual Diretor Geral do ESO. “Considero uma enorme honra ser um dos seus sucessores como Diretor Geral, na organização que Giacconi tanto ajudou a moldar”.

Durante o tempo de Giacconi como Diretor Geral do ESO, a organização sofreu diversas mudanças instrumentais significativas para tornar o VLT num sucesso. Em particular, as suas modernas técnicas de gestão aplicavam-se bem a programas grandes e promoveram uma maior colaboração entre a Alemanha e o Chile. Graças à sua liderança, o ESO conseguiu superar as significativas dificuldades tecnológicas e financeiras que teve durante a construção do VLT e dois dos quatro Telescópios Principais viram a sua primeira luz ainda no final do seu período como Diretor.

Durante a sua posição como Diretor Geral, Giacconi supervisou também avanços em La Silla. Devido ao seu apoio, o New Technology Telescope (NTT) foi melhorado e o telescópio de 3,6 metros foi desenvolvido e instalado.

Depois de deixar o ESO, Giacconi voltou aos Estados Unidos em 2002 para ocupar o lugar de Presidente da Associated Universities Incorporate (AUI). Foi-lhe atribuído uma parte do Prêmio Nobel da Física de 2002 “por contribuições pioneiras para a astrofísica, que levaram à descoberta das fontes cósmicas de raios-X.”

As contribuições de Riccardo Giacconi como Diretor Geral ajudaram a moldar o ESO na organização líder mundial que é hoje e a sua liderança será sempre lembrada como instrumental no sucesso continuado do ESO.

Contatos

Calum Turner
ESO Public Information Officer
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6670
Email: pio@eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann18090

Imagens

Riccardo Giacconi, Diretor Geral do ESO (1993-1999)
Riccardo Giacconi, Diretor Geral do ESO (1993-1999)
O Prof. Riccardo Giacconi com Claus Madsen no Clube Cosmos em Washington
O Prof. Riccardo Giacconi com Claus Madsen no Clube Cosmos em Washington
Riccardo Giacconi na apresentação de abertura do simpósio científico de inauguração do VLT
Riccardo Giacconi na apresentação de abertura do simpósio científico de inauguração do VLT