ann19039-pt-br — Anúncio

ESO e ESA confirmam que o asteroide 2006 QV89 não colidirá com a Terra em 2019

18 de Julho de 2019

O asteroide 2006 QV89, um pequeno objeto de 20 a 50 metros de diâmetro, foi motivo de notícia devido a uma pequeníssima possibilidade, uma em 7000, de colidir com a Terra no dia 9 de setembro de 2019. No primeiro caso conhecido de excluir o impacto de um asteroide através de uma “não deteção”, o Observatório Europeu do Sul (ESO) e a Agência Espacial Europeia (ESA) concluíram que o asteroide 2006 QV89 não se encontra em rota de colisão com o nosso planeta este ano.

Geralmente, quando se descobre que um asteroide tem uma pequena chance de colidir com a Terra, outras observações e medições são feitas. Estes dados “astrométricos” dão-nos uma ideia melhor do trajeto do asteroide, melhorando nossa compreensão do risco que ele representa e, muitas vezes, excluindo qualquer chance de colisão.

No entanto, o caso do asteroide 2006 QV89 é peculiar. Este objeto foi descoberto em agosto de 2006 e depois observado por apenas dez dias. As observações sugeriram que teria a probabilidade de 1 em 7000 de colidir com a Terra a 9 de setembro de 2019. Após o décimo dia, o asteróide não era observável e não foi visto desde então. Agora, mais de uma década depois, podemos prever sua posição com uma precisão muito baixa. Como resultado, é extremamente difícil para os astrônomos re-observá-lo, já que ninguém sabe exatamente onde apontar um telescópio.

Apesar disso, existe um modo de se obter a informação pretendida. Embora não saibamos a trajetória exata do 2006 QV89, sabemos no entanto onde ele deveria aparecer no céu se estivesse em rota de colisão com o nosso planeta. Assim, podemos simplesmente observar essa pequena área do céu para verificar se o asteróide realmente não está lá. Dessa forma, podemos excluir indiretamente qualquer risco de impacto, mesmo sem realmente ver o asteróide.

Foi precisamente isso que o ESO e a ESA fizeram nos dias 4 e 5 de julho, como parte da colaboração em curso entre as duas organizações para observar asteroides de alto risco com o auxílio do Very Large Telescope do ESO (VLT). A equipe obteve imagens muito “profundas” de uma pequena área do céu, onde o asteroide estaria localizado se estivesse numa rota para colidir com a Terra em setembro.

A imagem mostra a região do céu onde o asteroide 2006 QV89 estaria se estivesse em rota de colisão com a Terra este ano. As três cruzes vermelhas revelam localizações específicas onde o asteroide poderia ter aparecido como um simples ponto preto e grande, se estivesse em rota de colisão. Mesmo se o asteroide fosse menor do que o esperado, com apenas alguns metros de diâmetro, ele teria sido visto na imagem.  Qualquer tamanho menor que esse e o VLT não poderiam ter visto, mas também seria considerado inofensivo, já que qualquer asteroide desse tamanho queimaria na atmosfera da Terra.

Contatos

Oana Sandu
Community Coordinator & Communication Strategy Officer
ESO Department of Communication
Tel: +49 89 320 069 65
Email: osandu@partner.eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann19039

Imagens

A região do céu onde os astrônomos procuraram o asteroide 2006 QV89
A região do céu onde os astrônomos procuraram o asteroide 2006 QV89