ann19063-pt-br — Anúncio

Os Planetas 360: uma visita musical pelo Sistema Solar

O Supernova do ESO começa 2020 com um novo espectáculo musical na sua programação do planetário

23 de Dezembro de 2019

A partir de 2 de Fevereiro de 2020, o Planetário & Centro de Visitantes Supernova do ESO convida-o/a a participar numa visita guiada pelo Sistema Solar: Os Planetas 360. A sessão inaugural do espectáculo decorrerá no primeiro fim de semana da reabertura das portas do Supernova do ESO, após a breve pausa de Janeiro.

Um pouco diferente dos nossos espectáculos habituais, mas não menos impressionante, Os Planetas 360 baseia-se numa gravação da suite Os Planetas de Holst executada pelos 132 músicos da Orquestra Filarmónica do Reino Unido, acompanhada pelas mais recentes imagens do Sistema Solar capturadas pelos nossos exploradores robóticos. Ciência, música e arte fundem-se num espectáculo de 360º que nos traz o Sistema Solar ao vivo.

Siga as viagens das sondas espaciais para Marte, Júpiter, Saturno e outros planetas, enquanto aprecia interpretações musicais para cada um destes corpos planetários.

Pode reservar bilhetes para o espectáculo através deste link.

Exibições adicionais especiais de final de tarde de uma versão alargada deste espectáculo incluem um interpretação moderna, construída em torno de uma banda sonora contemporânea e apresentando um caminho mais abstrato e surreal através do cosmos. Cada planeta transforma-se numa dança entre o músico e o artista visual, fazendo-nos expandir a mente e explorar o nosso lugar no Universo. A música contempôranea especialmente encomendada foi composta por sonixXploras.

Os bilhetes para a versão alargada podem ser adquiridos através deste link.

Os Planetas 360, produzido pela companhia inglesa NSC Creative, foi possível graças ao programa RAS200 da Royal Astronomical Society.

Mais informações

O Planetário & Centro de Visitantes Supernova do ESO

O Planetário & Centro de Visitantes Supernova do ESO é um centro de astronomia de vanguarda para o público e uma infraestrutura educativa, situado no mesmo local que a Sede do ESO em Garching bei München. O centro comporta o maior planetário inclinado da Alemanha, Áustria e Suíça, para além de uma exposição interactiva, partilhando com os seus visitantes o fascinante mundo da astronomia e do ESO, no intuito de inspirar gerações futuras a apreciar e a compreender o Universo que nos rodeia. Todo o conteúdo encontra-se disponível em inglês e alemão e a entrada é gratuita, embora sujeita a marcação prévia. Para mais informações consulte o link: supernova.eso.org

O Planetário & Centro de Visitantes Supernova do ESO surge de uma colaboração entre o Observatório Europeu do Sul (ESO) e o Instituto de Estudos Teóricos de Heidelberg (HITS). O edifício foi doado pela Klaus Tschira Stiftung (KTS), uma fundação alemã e o ESO encarrega-se de gerir e operar a infraestrutura.

O Supernova do ESO é apoiado financeiramente por: LOR Foundation, Evans & Sutherland, Sky-Skan e Energie-Wende-Garching.

KTS

A Klaus Tschira Stiftung (KTS) foi fundada em 1995 pelo físico e co-fundador Klaus Tschira (1940 - 2015) e trata-se de uma das maiores fundações europeias financiadas a título privado sem fins lucrativos. A Fundação promove o avanço das ciências naturais, matemática e ciência de computadores, pretendendo aumentar o gosto por estas áreas. O empenhamento da Fundação começa no jardim de infância e estende-se pelas escolas, universidades e centros de investigação. A Fundação apadrinha novos métodos de transferência de conhecimento científico e apoia tanto o desenvolvimento como a apresentação cuidada de descobertas científicas.

HITS

O Instituto Heidelberg de Estudos Teóricos (HITS gGmbH) foi estabelecido em 2010 pelo físico e co-fundador Klaus Tschira (1940 - 2015) e a sua fundação, a Klaus Tschira Stiftung, como uma instituição privada sem fins lucrativos. O HITS leva a cabo investigação de base no âmbito das ciências naturais, matemática e ciência de computadores, com especial enfoque no processamento, estruturação e análise de grandes quantidades de dados. As áreas de investigação vão desde a biologia molecular à astrofísica. Os accionistas do HITS juntam-se na HITS Siftung, uma subsidiária da Fundação Klaus Tschira, da Universidade de Heidelberg e do Instituto de Tecnologia Karlsruhe (KIT). O HITS coopera igualmente com outras universidades e institutos de investigação e com parceiros industriais. O financiamento base do HITS vem da HITS Stiftung com fundos recebidos da Fundação Klaus Tschira. As principais agências de financiamento externo são o Ministério Federal de Educação e Investigação (BMBF), a Fundação Alemã de Investigação (DFG) e a União Europeia.

ESO

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é de longe o observatório astronómico mais produtivo do mundo. O ESO tem 16 Estados Membros: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça, para além do país de acolhimento, o Chile, e a Austrália, um parceiro estratégico. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e operação de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrónomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope e o Interferómetro do Very Large Telescope, o observatório astronómico óptico mais avançado do mundo, para além de dois telescópios de rastreio: o VISTA, que trabalha no infravermelho, e o VLT Survey Telescope, concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é também um parceiro principal em duas infraestruturas situadas no Chajnantor, o APEX e o ALMA, o maior projeto astronómico que existe atualmente. E no Cerro Armazones, próximo do Paranal, o ESO está a construir o Extremely Large Telescope (ELT) de 39 metros, que será “o maior olho do mundo virado para o céu”.

Links

Contatos

Tania Johnston
ESO Supernova Coordinator
Garching bei München, Alemanha
Email: tjohnsto@eso.org

Oana Sandu
Community Coordinator & Communication Strategy Officer, ESO Department of Communication
Email: osandu@partner.eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann19063

Imagens

Poster dos Planetas 360
Poster dos Planetas 360
Poster dos Planetas 360
Poster dos Planetas 360