ann20027-pt-br — Anúncio

Novo show de planetário: Universo Invisível: olhe para o céu com olhos sobre-humanos

Produzido em associação com o ESO, o show nos traz uma visão deslumbrante sobre a nova tecnologia de telescópios

14 de Outubro de 2020

Como é que os astrônomos exploram o Universo além dos sentidos humanos? Um novo show de Evans & Sutherland, feito em associação com o ESO e o Museu de Ciências Naturais de Houston oferece uma visão sobre a maior revolução em astronomia desde a invenção do telescópio.

Universo Invisível (Unseen Universe) convida você a entrar na nova era de exploração e conhecimento. Durante milhões de anos, a observação dos céus limitava-se aos nossos olhos, permitindo-nos ver apenas uma banda muito estreita da radiação eletromagnética, a chamada luz visível. Atualmente, temos tecnologia que nos permite ver o céu com visão e precisão sobre-humanas.

O espectáculo de planetário Universo Invisível apresenta uma visão empolgante da astronomia de ponta. Saiba mais sobre os supercomputadores que ligam grupos de telescópios instalados em continentes diferentes. Siga a frota de observatórios espaciais que estendem os nossos sentidos no espaço e no tempo. Descubra como é que os novos detectores acompanhados por software que junta observações diferentes estão transformando o que podemos fazer a partir do solo terrestre. Veja o invisível se tornar visível!

Uma produção fulldome da Evans & Sutherland, feita em associação com o ESO e o Museu de Ciências Naturais de Houston, Universo Invisível oferece um visual deslumbrante enquanto nos permite explorar os mais recentes esplendores dos céus, acompanhado por uma banda sonora executada pela Utah Film Orchestra. É um olhar edificante sobre a nova era da astronomia e o que ainda está por vir.

O espectáculo tem uma duração aproximada de 1 hora e é adequado para todo o tipo de público a partir dos 10 anos. Planetários interessados ​​na produção podem saber mais aqui.

Mais informações

O Planetário e Centro de Visitantes Supernova do ESO

O Planetário e Centro de Visitantes Supernova do ESO é um centro de astronomia de ponta para o público e uma infraestrutura educativa, situado no mesmo local que a Sede do ESO em Garching bei München. O centro abriga o maior planetário inclinado da Alemanha, Áustria e Suíça, além de uma exposição interativa, compartilhando com os seus visitantes o fascinante mundo da astronomia e do ESO, no intuito de inspirar gerações futuras a apreciar e a compreender o Universo que nos rodeia. Todo o conteúdo se encontra disponível em inglês e alemão. A entrada para a exposição é gratuita e não requer reserva prévia. Para shows de planetário, visitas guiadas e outras atividades, os visitantes precisam reservar e pagar seus ingressos on-line. Para mais informações consulte o link: supernova.eso.org

O Planetário e Centro de Visitantes Supernova do ESO é uma colaboração entre o Observatório Europeu do Sul (ESO) e o Instituto Heidelberg de Estudos Teóricos (HITS). O edifício é uma doação da Klaus Tschira Stiftung (KTS), uma fundação alemã e o ESO administra a instalação.

O Supernova do ESO é apoiado financeiramente por: LOR Foundation, Evans & Sutherland e Sky-Skan.

KTS

A Klaus Tschira Stiftung (KTS) foi fundada em 1995 pelo físico e co-fundador Klaus Tschira (1940 - 2015) e trata-se de uma das maiores fundações privadas sem fins lucrativos da Europa. A Fundação promove o avanço das ciências naturais, matemática e ciência da computação, e se esforça para aumentar o gosto por estas áreas. O compromisso da Fundação começa no jardim de infância e se estende pelas escolas, universidades e centros de pesquisa. A Fundação patrocina novos métodos de transferência de conhecimento científico e apoia tanto o desenvolvimento como a apresentação cuidadosa de descobertas científicas.

HITS

O Instituto Heidelberg de Estudos Teóricos (HITS gGmbH) foi criado em 2010 pelo físico e co-fundador Klaus Tschira (1940 - 2015) e a sua fundação, a Klaus Tschira Stiftung, como uma instituição privada sem fins lucrativos. O HITS realiza pesquisas básicas em ciências naturais, matemática e ciência da computação, com especial enfoque no processamento, estruturação e análise de grandes quantidades de dados. As áreas de pesquisa vão desde a biologia molecular à astrofísica. Os acionistas do HITS se juntam na HITS Siftung, uma subsidiária da Fundação Klaus Tschira, da Universidade de Heidelberg e do Instituto de Tecnologia Karlsruhe (KIT). O HITS coopera igualmente com outras universidades e institutos de pesquisa e com parceiros industriais. O financiamento base do HITS vem da HITS Stiftung com fundos recebidos da Fundação Klaus Tschira. As principais agências de financiamento externo são o Ministério Federal de Educação e Pesquisa (BMBF), a Fundação Alemã de Pesquisa (DFG) e a União Europeia.

ESO

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a pesquisa em astronomia e é de longe o observatório astronômico mais produtivo do mundo. O ESO tem 16 Estados Membros: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Suécia e Suíça, além do país anfitrião, o Chile, e a Austrália, como parceiro estratégico. O ESO se destaca por realizar um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e operação de observatórios astronômicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrônomos importantes descobertas científicas. O ESO também desempenha um papel de liderança na promoção e organização da cooperação em pesquisa astronômica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope e o Interferômetro do Very Large Telescope, o observatório astronômico óptico mais avançado do mundo, além de dois telescópios de rastreio: o VISTA, que trabalha no infravermelho, e o VLT Survey Telescope, concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO também é um parceiro importante em duas instalações situadas no Chajnantor, o APEX e o ALMA, o maior projeto astronômico que existe atualmente. E no Cerro Armazones, próximo do Paranal, o ESO está construindo o Extremely Large Telescope (ELT) de 39 metros, que será “o maior olho do mundo virado para o céu”.

Links

Contatos

Tania Johnston
Head of ESO Supernova
Email: supernova@eso.org

Oana Sandu
Community Coordinator & Communication Strategy Officer
Email: osandu@partner.eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann20027

Imagens

Poster do "Universo Invisível"
Poster do "Universo Invisível"