Os restos da nova de 1670 observados com instrumentos modernos

Esta imagem mostra os restos da nova estrela que foi vista no ano 1670. A imagem foi criada a partir de uma combinação de imagens no visível obtidas com o telescópio Gemini (em azul), de um mapa submilimétrico que mostra a poeira obtido pelo SMA (em verde) e de um mapa da emissão molecular obtido pelo APEX e pelo SMA (em vermelho).

A estrela que os astrônomos europeus viram não era uma nova, mas sim um tipo muito mais raro e violento de colisão estelar. A explosão foi suficientemente espetacular para ser observada a olho nu durante sua primeira fase, mas os traços que deixou eram tão fracos que foi necessário fazer análises muito detalhadas com telescópios submilimétricos, mais de 340 anos depois, para se conseguir desvendar o mistério.

Crédito:

ESO/T. Kamiński

Sobre a imagem

Id:eso1511b
Idioma:pt-br
Tipo:Observação
Data de divulgação:23 de Março de 2015 às 17:00
Notícias relacionadas:eso1511
Tamanho:882 x 882 px

Sobre o objeto

Nome:Nova Vulpeculae 1670
Tipo:Milky Way : Star : Type : Variable : Nova
Constellation:Vulpecula

Formatos de imagens

JPEG grande
218,6 KB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
231,8 KB
1280x1024
336,1 KB
1600x1200
433,1 KB
1920x1200
472,3 KB
2048x1536
606,0 KB

Coordenadas

Position (RA):19 47 36.90
Position (Dec):27° 19' 1.19"
Field of view:1.48 x 1.48 arcminutes
Orientação:O norte está a 0.2° à esquerda da vertical

Cores e filtros

BandaTelescópio
Óptico
hydrogen
Gemini Observatory
GMOS
Ondas MilimétricasSubmillimeter Array
Ondas MilimétricasSubmillimeter Array
Ondas MilimétricasAtacama Pathfinder Experiment

 

Veja também