Rastros de estrelas no deserto

No deserto do Atacama no Chile chove muito raramente. Apenas uma vez a cada vários anos é que chuva ou neve caem de forma significativa no Observatório de La Silla do ESO, geralmente coincidindo com um evento climático anormalmente quente, tal como o fenômeno do El Niño. Este deserto é o mais seco do planeta, o que o torna num lugar fantástico para observar o céu noturno.

Embora haja muito pouca chuva, alguns truques fotográficos podem fazer com que as estrelas pareçam chuva a cair nas montanhas circundantes, tal como se vê nesta imagem obtida a 21 de maio de 2013 por Diana Juncher, uma estudante de doutoramento em astronomia no Instituto Niels Bohr, na Dinamarca.

Diana esteve em La Silla durante duas semanas em maio de 2013, a observar exoplanetas na direção do centro da nossa Galáxia, no âmbito do seu trabalho de investigação. Durante a sua estadia, a estudante tirou esta fotografia de rastros de estrelas, a apenas 20 metros do telescópio dinamarquês de 1,54 metros, no Observatório de La Silla do ESO. Fotografias de rastros de estrelas como esta são obtidas através de uma exposição longa de modo a capturar o movimento aparente das estrelas à medida que a Terra roda.

Uma fina camada de neve cobre os topos das montanhas distantes e podem ver-se também nuvens abaixo de La Silla, perto do horizonte à esquerda. A área ligeiramente mais escura e vermelha à direita trata-se de uma mina de cobre a céu aberto. O cobre é a principal fonte econômica do Chile - o país é, de longe, o líder mundial na produção de cobre.

Links

Crédito:

Diana Juncher/ESO

Sobre a imagem

Id:potw1434a
Idioma:pt-br
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:25 de Agosto de 2014 às 10:00
Tamanho:5472 x 3648 px

Sobre o objeto

Nome:Atacama Desert
Tipo:Unspecified : Sky Phenomenon : Night Sky : Trail

Formatos de imagens

JPEG grande
6,1 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
422,9 KB
1280x1024
683,5 KB
1600x1200
955,5 KB
1920x1200
1,1 MB
2048x1536
1,4 MB

 

Veja também