Em cima do topo de uma nuvem

La Silla é o mais baixo de todos os observatórios do ESO no Chile. A 2400 metros de altitude, encontra-se cerca de 200 metros mais abaixo que o Paranal e está a metade da altitude do ALMA, que fica no topo do Chajnantor a uns 5000 metros acima do nível do mar.

Apesar de ser o observatório mais baixo em termos de elevação, os cientistas em La Silla ainda se lembram que estão a uma altitude elevada quando saem dos edifícios e se deparam com um espetáculo como este - nuvens por baixo dos pés!

Como La Silla se situa na periferia sul do deserto do Atacama, um dos locais mais secos do planeta, pode surpreender-nos ver formações de nuvens nesta região, mas o clima árido resulta da Corrente Peruana de Humboldt. Esta corrente é causada pelo movimento ascendente de água fria desde as profundezas do Oceano Pacífico, que flui para norte ao longo da costa oeste da América do Sul. Este fenômeno é de fato responsável pela aridez do deserto do Atacama - a água fria ao atingir a superfície do oceano dá origem a ar frio a nível do mar, mas a ar quente a altitudes mais elevadas. Em ocasiões raras este efeito produz igualmente nevoeiro e nuvens, mas sem chuva. Este não era o caso no dia em que foi tirada esta fotografia, já que depois das nuvens terem desaparecido - o que aconteceu pouco depois do momento ser fotografado - a noite ficou límpida para as observações.

Esta imagem do pôr do Sol em La Silla foi tirada pelo Embaixador Fotográfico do ESO Alexandre Santerne.

Crédito:

A. Santerne/ESO

Sobre a imagem

Id:potw1449a
Idioma:pt-br
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:8 de Dezembro de 2014 às 10:00
Tamanho:4355 x 1212 px

Sobre o objeto

Nome:La Silla
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory

Formatos de imagens

JPEG grande
517,1 KB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
85,3 KB
1280x1024
131,8 KB
1600x1200
194,3 KB
1920x1200
234,1 KB
2048x1536
310,6 KB

 

Veja também