Envolvendo o Antu

Apesar do seu nome, o Very Large Telescope do ESO, o VLT, não é um único telescópio! É na realidade constituído por um conjunto de quatro Telescópios Principais de 8,2 metros — um dos quais podemos ver nesta imagem — e quatro Telescópios Auxiliares móveis adicionais, de 1,8 metros.

Cada Telescópio Principal tem o seu nome individual na língua nativa da região, o mapuche. A estrela desta imagem é o Antu, o primeiro destes enormes telescópios, que vemos aqui no topo do Cerro Paranal, no Chile. Esta imagem policromática, obtida pelo Embaixador Fotográfico do ESO Petr Horálek, captura também as bonitas cores do céu noturno nublado que envolve o Antu.

Podemos ver muitos objetos no céu. Da esquerda para a direita, vemos o rosa da Nebulosa Califórnia, o aglomerado estelar das Plêiades, o "rio de fogo" da Via Láctea, a constelação de Orion com o seu famoso cinturão, o laço da Nebulosa Gum, a Nebulosa Carina e o Cruzeiro do Sul. As estruturas mais curiosas da imagem são as bandas ou tiras verdes que vemos do lado direito do Antu. Tratam-se de ondas gravitacionais atmosféricas, geradas por tempestades que criam ondas na camada esverdeada da luminescência atmosférica terrestre, na alta atmosfera. Esta imagem foi exibida num ESOcast dedicado aos Duendes Vermelhos, um fenômeno que pode ocorrer em condições semelhantes às das ondas gravitacionais.

Crédito:

Sobre a imagem

Id:potw2039a
Idioma:pt-br
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:28 de Setembro de 2020 às 06:00
Tamanho:18071 x 9811 px

Sobre o objeto

Nome:California Nebula, Gum Nebula, Milky Way, Paranal, Pleiades
Tipo:Unspecified : Technology
Unspecified

Formatos de imagens


Zoom


Papéis de parede

1024x768
355,7 KB
1280x1024
590,3 KB
1600x1200
847,6 KB
1920x1200
978,3 KB
2048x1536
1,3 MB