Os restos da nova de 1670 observados com instrumentos modernos

Esta imagem mostra os restos da nova estrela que foi vista no ano 1670. A imagem foi criada a partir de uma combinação de imagens no visível obtidas com o telescópio Gemini (a azul), de um mapa submilimétrico que mostra a poeira obtido pelo SMA (a verde) e de um mapa da emissão molecular obtido pelo APEX e pelo SMA (a vermelho).

A estrela que os astrónomos europeus viram em 1670 não era uma nova, mas sim um tipo muito mais raro e violento de colisão estelar. A explosão foi suficientemente espectacular para ser observada a olho nu durante a primeira fase, mas os traços que deixou eram tão fracos que foi necessário fazer análises muito detalhadas com telescópios submilimétricos, mais de 340 anos depois, para se conseguir desvendar o mistério.

Créditos:

ESO/T. Kamiński

Sobre a imagem

Id:eso1511b
Língua:pt
Tipo:Observação
Data de divulgação:23 de Março de 2015 às 17:00
Notícias relacionadas:eso1511
Tamanho:882 x 882 px

Sobre o objeto

Nome:Nova Vulpeculae 1670
Tipo:Milky Way : Star : Type : Variable : Nova
Constellation:Vulpecula

Formatos de imagens

JPEG grande
218,6 KB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
231,8 KB
1280x1024
336,1 KB
1600x1200
433,1 KB
1920x1200
472,3 KB
2048x1536
606,0 KB

Coordenadas

Position (RA):19 47 36.90
Position (Dec):27° 19' 1.19"
Field of view:1.48 x 1.48 arcminutes
Orientação:O norte está a 0.2° à esquerda da vertical

Cores e filtros

BandaTelescópio
Óptico
hydrogen
Gemini Observatory
GMOS
MilímetroSubmillimeter Array
MilímetroSubmillimeter Array
MilímetroAtacama Pathfinder Experiment

 

Veja também