SPHERE mapeia a superfície de Ceres

Estas imagens, obtidas com duas semanas de diferença, mostram os dois hemisférios de Ceres e dão-nos as melhores observações feitas até à data, a partir do solo, do planeta anão. Foram obtidas com o instrumento SPHERE montado no Very Large Telescope do ESO e fazem parte de um trabalho que está a ser levado a cabo desde meados de julho de 2015 e que pretende fazer um mapa polarimétrico da superfície deste objeto.

Orbitando na cintura de asteróides entre Marte e Júpiter, a região conhecida por Cintura Principal, Ceres foi o primeiro asteróide a ser descoberto em 1801 e trata-se do maior asteróide da Cintura Principal. O asteróide é o maior reservatório de água existente na vizinhança da Terra e pensa-se que a água se encontra sob a forma de gelo no manto do objeto.

A superfície do planeta anão tem cerca do tamanho da India e podemos observar vários pontos brilhantes intrigantes nestas novas imagens. Estes pontos foram também observados de forma cuidada pela sonda Dawn da NASA, que se encontra atualmente em órbita de Ceres. Os astrónomos têm-nos estudado mas a sua verdadeira natureza permanece um mistério. Espera-se, no entanto, que ao comparar os dados obtidos pelo SPHERE com as imagens que a Dawn está a enviar para a Terra, os astrónomos possam começar a descodificar este enigma.

Créditos:

ESO, B. Yang and Z. Wahhaj

Sobre a imagem

Id:potw1536a
Língua:pt
Tipo:Planetário
Data de divulgação:7 de Setembro de 2015 às 10:00
Tamanho:1254 x 844 px

Sobre o objeto

Nome:Ceres
Tipo:Solar System : Interplanetary Body : Dwarf planet

Formatos de imagens

JPEG grande
117,3 KB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
99,0 KB
1280x1024
131,2 KB
1600x1200
171,4 KB
1920x1200
199,4 KB
2048x1536
242,4 KB

Cores e filtros

BandaTelescópio
Very Large Telescope
SPHERE

 

Veja também