Cúpula de luz

Apesar de já ter sido usada como o lugar onde se escondia o vilão de um dos filmes de James Bond, a Residencia do ESO tem normalmente uma função menos sinistra! Desde a altura em que a sua construção ficou concluída em 2012 que o edifício serve de casa aos astrónomos, engenheiros e técnicos que trabalham no Observatório do Paranal do ESO, no Chile. A Residencia situa-se 2400 metros acima do nível do mar no deserto do Atacama, a apenas alguns quilómetros de distância do Cerro Paranal — o pico que acolhe o Very Large Telescope (VLT) e o Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy (VISTA).

Durante o dia, o hotel encontra-se banhado por luz solar natural, a qual entra diretamente no edifício através de uma enorme clarabóia de 35 metros de diâmetro. Durante a noite, o vidro desta clarabóia ilumina-se de tons azuis, vermelhos e rosas do arco caleidoscópico da Via Láctea. Podemos ver ainda na imagem duas galáxias vizinhas, a Grande e a Pequena Nuvens de Magalhães, que aparecem como manchas brancas por baixo da curva da Via Láctea e muitas estrelas coloridas e brilhantes que compõem a cena.

Créditos:

Sobre a imagem

Id:potw2002a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:13 de Janeiro de 2020 às 06:00
Tamanho:22215 x 9630 px
Field of View:260° x 115°

Sobre o objeto

Tipo:Unspecified : Technology : Observatory : Facility

Formatos de imagens

JPEG grande
57,8 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
304,0 KB
1280x1024
515,7 KB
1600x1200
754,8 KB
1920x1200
886,7 KB
2048x1536
1,2 MB

 

Veja também