Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy

O VISTA ― the Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy ― faz parte do Observatório do Paranal do ESO. O VISTA opera no infravermelho próximo e é o maior telescópio de rastreio do mundo. O seu espelho enorme, campo de visão alargado e detectores muito sensíveis proporcionar-nos-ão uma visão completamente nova do céu austral.

O telescópio encontra-se sobre o pico adjacente ao que acolhe o Very Large Telescope do ESO (VLT), partilhando por isso das mesmas condições de observação excepcionais.

O VISTA tem um espelho primário de 4,1 m. Em termos fotográficos é como se correspondesse a uma câmara digital de 67 milhões de pixels com uma lente 13 000 mm f/3.25.

No coração do telescópio está uma enorme câmara de três toneladas, que possui 16 detectores infravermelhos de vanguarda, extremamente sensíveis.

Ciência com o VISTA

O tempo de observação do VISTA está totalmente dedicado a mapear o céu de forma sistemática. Os primeiros cinco anos de operação do telescópio estão a ser principalmente ocupados com seis enormes rastreios públicos. Alguns estudam pequenas zonas do céu durante longos períodos de tempo, com o intuito de detectarem objetos extremamente ténues, enquanto outros mapeam todo o céu austral. As observações dão origem a vastas coleções de novos dados, que apoiarão a investigação de muitos projetos astronómicos, desde estudos de pequenos corpos no nosso Sistema Solar até investigação cosmológica sobre a natureza da matéria e da energia escuras. No seio da nossa Galáxia, o VISTA está a descobrir muitos objetos novos, testando assim sobre a natureza da matéria escura. Com o auxílio de dados do VISTA, os astrónomos poderão criar mapas a três dimensões de cerca de 5% de todo o Universo observável. Para além disso, o VISTA constitui uma poderosa ferramenta na descoberta de quasares longínquos e no estudo da evolução de galáxias e enxames de galáxias. Ajuda ainda a investigar a natureza da matéria escura ao descobrir enxames de galáxias muito distantes.

O VISTA foi concebido e desenvolvido por um consórcio de 18 universidades do Reino Unido, liderado pelo Queen Mary, University of London e tratou-se de uma contribuição para o ESO no âmbito do acordo de adesão do RU a esta organização. A gestão do projeto na conceção e construção do telescópio foi levada a cabo pelo Science and Technology Facilities Council do UK Astronomy Technology Centre (STFC, UK ATC).

O telescópio foi aceite provisoriamente pelo ESO a 10 de dezembro de 2009 e é agora operado pelo ESO.

Objetivos científicos

Dedicado a rastreios. Estrelas variáveis, rastreios profundos, anãs castanhas, etc.

Mais sobre o VISTA

VISTA

Nome: Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy
Local: Cerro Paranal
Altitude: 2518 m
Cúpula: Estrutura cilíndrica compacta optimizada
Tipo: Telescópio de rastreio no infravermelho próximo

Design óptico:

Refletor Ritchey-Chrétien modificado com lentes corretoras na câmara
Diâmetro do Espelho Primário M1: 4,10 m
Material do Espelho Primário M1: ZeroDur
Diâmetro do Espelho Secundário M2: 1,24 m
Material do Espelho Secundário M2: Astro-Sitall
Montagem: Montagem altazimutal em garfo
Data da Primeira Luz: 11 de dezembro de 2009
Óptica Ativa: Sim
Sabia que... ?
O céu sobre os observatórios do ESO no Chile são tão escuros que numa noite clara sem luar, podem ver-se sombras projetadas apenas devido à luminosidade da Via Láctea.

Sabia que... ?
A contribuição anual de um Estado Membro do ESO é equivalente a menos de 35 cêntimos por pessoa.

Sabia que... ?
O Observatório do Paranal é um lugar tão remoto que tudo tem que ser trazido de propósito. Os 60000 litros de água consumidos diariamente têm que ser trazidos todos os dias de camião de Antofagasta.