ann12058-pt — Anúncio

Anunciados os vencedores do primeiro Concurso Europeu de Jornalismo Astronómico

5 de Setembro de 2012

A vencedora do primeiro Concurso Europeu de Jornalismo Astronómico, pensado para inspirar a próxima geração de investigadores, foi anunciada hoje (5 de setembro de 2012) numa recepção na House of Commons. Katia Moskvitch da BBC foi a vencedora do concurso e premiada com uma viagem ao Chile por um júri de representantes do Observatório Europeu do Sul (ESO) e do Conselho de Infraestruturas Científicas e Tecnológicas (STFC), que organizaram a competição, juntamente com a Associação Britânica de Escritores Científicos. O objetivo do concurso era aumentar a cobertura dos média no campo, como meio de promover as maravilhas da astronomia – um assunto citado regularmente como principal motivo dos estudantes optarem por carreiras na ciência. Os membros do júri escolheram Katia como vencedora pela sua memorável série no VLT do ESO, localizado no Observatório do Paranal, Chile. [1]

O prémio da Katia foi anunciado na recepção primeiramente organizada para celebrar o envolvimento do Reino Unido no LHC após a recente descoberta de uma partícula consistente com o Bosão de Higgs. O Reino Unido possui um papel proeminente tanto na física de partículas quanto na astronomia, ocupando uma posição de liderança mundial na astronomia*.

Katia disse: “Como jornalista tecnológica na BBC, não costumo escrever sobre astronomia. Foi por isso mesmo que adorei o tempo que passei no Chile, escrevendo notícias sobre os telescópios nos observatórios do ESO e aprendendo muitas coisas novas sobre o espaço e tecnologia. Depois de escrever as minhas análises, recebi um feedback realmente positivo dos leitores e um colega incentivou-me a entrar nessa competição. Fiquei bastante surpreendida, mas também muito feliz, quando descobri que tinha ganho!”

Um prémio especial por excelência também foi oferecido a Robin Mckie do jornal The Observer pelo seu papel no envolvimento britânico na investigação de ondas gravitacionais. [2]

Maggie Mckee de Boston, Massachusetts, foi muito elogiada pelos membros do júri por um artigo na New Scientist sobre o envolvimento europeu no estudo do trânsito de Vénus. [3]

O Ministro das Universidades e Ciência, David Willets disse: 
“A cobertura dos média é uma forma importante de transmitir ao público as maravilhas da ciência e tornar trabalho de investigação complexo em algo simples de entender. É ótimo ver jornalismo de uma tamanha dimensão e alta qualidade ser reconhecido hoje. Não tenho dúvidas de que isso encorajará a próxima geração a dedicar-se à astronomia, ajudando o Reino Unido a manter a liderança neste campo.

Katia Moskvitch está convidada pelo ESO para estar presente na inauguração do ALMA no deserto do Atacama, no Chile, em março de 2013.

O prémio de Robin Mckie consiste numa visita ao VLT ainda este ano e o prémio de Maggie Mckee será uma viagem ao Reino Unido – visitando algumas das instalações científicas de ponta do Reino Unido, incluindo o Laboratório Rutherford-Appleton e o Centro de Descobertas Jodrell Bank da Universidade de Manchester.

O Professor John Womersley, chefe executivo do STFC disse:

“Os média são um parceiro vital para difundir a mensagem de motivação da astronomia – e de outros campos da ciência – sendo do nosso interesse trabalhar em conjunto com os média no sentido de encorajar uma cobertura maior e de melhor qualidade. A qualidade do jornalismo reconhecido aqui hoje é excepcional – precisamos de mais jornalistas como estes, que nos ajudem a inspirar a próxima geração de futuros cientistas.”

Lars Lindberg Christensen, diretor do departamento de educação e divulgação científica no ESO disse:

“Gostaríamos de felicitar todos os participantes, e especialmente os vencedores, pelos seus trabalhos marcantes na promoção da astronomia europeia. Esperamos que tal reconhecimento estimule uma maior cobertura das contribuições europeias no campo da astronomia, levando esses resultados ao público.”

Devido ao sucesso da competição, realizar-se-á uma segunda edição no próximo ano. Os detalhes serão anunciados nas páginas web do STFC e do ESO  atempadamente.

Fotografias da recepção estarão disponíveis na página inicial do STFC, logo que possível após a recepção.

Os prémios foram distribuídos de acordo com as seguintes linhas de trabalho:

[1] O artigo vencedor do concruso, de Katia Moskvitch, intitulado “Red-hot Chile peepers: How to make a very large telescope” (http://www.bbc.co.uk/news/technology-17445688), publicado online na secção de tecnologia do site da BBC.

[2] O segundo prémio foi entregue ao artigo “Hunting ripples in the fabric of space” (http://www.guardian.co.uk/science/2012/apr/15/gravitational-waves-search-breakthrough/) de Robin Mckie, publicado na secção de descobertas na física na edição impressa do The Observer

[3] O terceiro lugar foi concedido ao artigo “Transit Fans” (http://www.newscientist.com/info/in216?full=true) de Maggie Mckee, publicado na edição impressa da revista semanal New Scientist, e também no site NewScientist.com.

O Reino Unido na astronomia e astrofísica

*O Reino Unido possui um papel importante tanto em física de partículas quanto em astronomia e é o número um do mundo para a astronomia, lugar medido através do número de citações de artigos científicos no G8 em revistas da especialidade de 2010.

O interesse em física e astronomia continua a crescer. As inscrições em cursos de física em universidades em 2010/11 cresceram mais de 17% em relação ao último ano, e em astronomia 40%.

 http://www.stfc.ac.uk/resources/pdf/STFCImpactReport2011.pdf

Mais Informações

Observatório Europeu do Sul

O ano de 2012 marca o quinquagésimo aniversário da fundação do Observatório Europeu do Sul (ESO). O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é o observatório astronómico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e operação de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrónomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronómico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projeto astronómico que existe atualmente. O ESO está a planear o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio da classe dos 40 metros que observará na banda do visível e próximo infravermelho. O E-ELT será “o maior olho no céu do mundo”. 

STFC

O Conselho Científico e Tecnológico mantém o Reino Unido na vanguarda da ciência internacional e lida com alguns dos desafios mais importantes para a sociedade tais como as futuras necessidades energéticas, a supervisão e compreensão das alterações climáticas e a segurança global.

O Conselho tem uma grande variedade de programas científicos e trabalha em conjunto com a comunidade académica e industrial, de modo a partilhar a sua experiência no que se refere à ciência dos materiais, tecnologias de astronomia terrestre e espacial, ciência laser, microelectrónica, fabricação de circuitos electrónicos integrados, física nuclear e das partículas, produção de energias alternativas, comunicações por rádio e radar.

O STFC opera ou acolhe instalações de vanguarda a nível mundial para a investigação experimental, que incluem: a fonte de neutrões pulsantes ISIS, o Central Laser Facility e a rede LOFAR. O STFC é também o maior accionista da Diamond Light Source Ldt. no estrangeiro e possui telescópios em La Palma e no Hawai.

O STFC permite aos investigadores do Reino Unido acederem a instalações científicas internacionais de vanguarda, financiando os membros de organizações internacionais como o Laboratório Europeu de Física das Partículas (CERN), o Instituto Laue Langevin (ILL), a Infraestrutura Europeia de Radiação de Síncrotrão (ESRF) e o Observatório Europeu do Sul (ESO).

O STFC conta também com um vasto programa de divulgação científica, utilizando os seus trabalhos pioneiros para mostrar o impacto e os benefícios que a ciência pode trazer à sociedade, inspirando e motivando deste modo estudantes e público em geral.

O STFC é um dos sete conselhos de investigação financiado com fundos públicos. É um organismo público de regulação e supervisão independentes, que faz parte do Departamento de Negócios, Inovação e Capacidades (BIS).

Siga-nos no Twitter: @STFC_Matters
Mais informações em: www.stfc.ac.uk

Sociedade Astronómica Real

A Sociedade Astronómica Real (RAS: www.ras.org.uk), fundada em 1820, fomenta e promove o estudo da astronomia, das ciências que estudam o Sistema Solar, da geofísica e doutros ramos da ciência directamente relacionados. A RAS organiza encontros científicos, publica artigos especializados e estudos internacionais, reconhece trabalhos extraordinários entregando prémios e medalhas, mantém uma enorme biblioteca, apoia a educação atribuindo bolsas e promovendo actividades de divulgação e representa a astronomia do Reino Unido tanto nacional como internacionalmente. Os seus mais de 3500 membros (Fellows), um terço dos quais a trabalhar no estrangeiro, incluem investigadores científicos em universidades, observatórios e laboratórios, assim como historiadores de astronomia e outros.

Associação Britânica de Escritores Científicos

Fundada em 1947, a Associação Britânica de Escritores Científicos (ABSW) é uma organização profissional para escritores científicos no Reino Unido. Os seus 800 membros escrevem de notícias a livros e programas de TV. A associação atribui o prémio de jornalismo científico do Reino Unido, mantém a Conferência de Jornalismo Científico do Reino Unido e ajuda os iniciantes na profissão a expandir as suas capacidades. É um membro líder da Federação Mundial de Jornalistas Científicos e está envolvida em promover o jornalismo científico no desenvolvimento mundial. Mais informações em: http://www.absw.org.uk/

Links

Contactos

Oana Sandu
Community Coordinator
The education and Public Outreach Department, ESO
Tel: +49 89 320 069 65
Email: osandu@eso.org

Lucy Stone
Press Office
STFC Rutherford Appleton Laboratory
Tel: +44 (0)1235 445 627
Telm: +44 (0)7920 870125
Email: lucy.stone@stfc.ac.uk

Dr Robert Massey
Royal Astronomical Society
Telm: +44 (0)794 124 8035
Email: rm@ras.org.uk

Martin Ince
Association of British Science Writers
Telm: +44 (0)771 939 0958
Email: martin@martinince.com

Sobre o anúncio

Id:ann12058

Imagens

Vencedores do primeiro Concurso Europeu de Jornalismo Astronómico
Vencedores do primeiro Concurso Europeu de Jornalismo Astronómico
Cerimónia da entrega de prémios durante a recepção na House of Commons, Reino Unido
Cerimónia da entrega de prémios durante a recepção na House of Commons, Reino Unido