eso1440pt — Nota de Imprensa Institucional

Luz verde para a construção do E-ELT

4 de Dezembro de 2014

Numa reunião recente o órgão dirigente do ESO, o Conselho deu luz verde [1] para a construção do European Extremely Large Telescope (E-ELT) em duas fases. Foi autorizada a atribuição de cerca de um milhar de milhões de euros para a primeira fase, o que cobrirá os custos de construção de um telescópio completamente operacional com uma série de poderosos instrumentos e com a primeira luz prevista para daqui a dez anos. O telescópio permitirá fazer enormes descobertas científicas em áreas tão variadas como exoplanetas, composição estelar de galáxias próximas e Universo profundo. O maior contrato ESO, para a construção da cúpula do telescópio e da estrutura principal, será atribuído durante o próximo ano.

O E-ELT será um telescópio óptico e infravermelho de 39 metros, que irá ser colocado no Cerro Armazones no deserto chileno do Atacama, a 20 quilómetros de distância do Very Large Telescope do ESO, situado no Cerro Paranal. O E-ELT será o “maior olho do mundo virado para o céu”.

“A decisão tomada pelo Conselho significa que o telescópio pode agora ser construído e que o enorme trabalho de construção industrial para o E-ELT está financiado e pode prosseguir conforme planeado. Existe já algum progresso no Chile, no topo do Armazones, e os próximos anos serão muito excitantes,” disse Tim de Zeeuw, Diretor Geral do ESO.

A construção do E-ELT foi aprovada pelo Conselho do ESO em junho de 2012 com a condição de que contratos com valores maiores que 2 milhões de euros apenas seriam aprovados quando o valor total do telescópio (1083 milhões de euros em 2012) estivesse financiado a 90%. Foi concedida uma excepção para as obras de construção civil no local, que tiveram início com a cerimónia de detonamento do topo da montanha em junho de 2014 e progridem muito bem.

Para já, 10% do custo total do projeto foi transferido para uma segunda fase. Com a adesão da Polónia ao ESO, os fundos atualmente atribuídos ao E-ELT atingem mais de 90% do custo total da primeira fase, com a qual teremos um telescópio completamente operacional. Espera-se que fundos adicionais fiquem disponíveis vindos do Estado Membro vindouro, o Brasil, nos próximos anos.

Para impedir que o projeto começasse a desaparecer, o Conselho do ESO decidiu avançar com a construção da primeira fase do telescópio de 39 metros. O trabalho financiado inclui o contrato para a cúpula do telescópio e estrutura principal - o maior contrato na história do ESO - que será atribuído no final de 2015 e levará à construção de um E-ELT completamente operacional.

Os componentes do telescópio que não estão ainda financiados incluem partes do sistema de óptica adaptativa, algum trabalho nos instrumentos, os cinco anéis mais internos de segmentos do espelho principal do telescópio (210 segmentos de espelho) e um conjunto sobresselente de segmentos do espelho primário, necessários para uma operação mais eficiente do telescópio no futuro. A construção destes componentes, cujo adiamento não reduz de modo algum as conquistas científicas extraordinárias que o telescópio poderá já alcançar no final da primeira fase, irá sendo aprovada à medida que fundos adicionais se tornarem disponíveis, incluindo os fundos que se prevêem vir do Estado Membro vindouro, o Brasil.

Para mais informações queira consultar estas FAQ e este artigo do Messenger que explica todos os detalhes.

“Os fundos agora atribuídos permitirão a construção de um E-ELT completamente operacional, o qual será o mais poderoso de todos os projetos de telescópios extremamente grandes planeados atualmente, com área colectora de radiação e instrumentação muito superiores. O telescópio permitirá a caracterização de exoplanetas com a massa da Terra, o estudo de populações estelares resolvidas em galáxias próximas, assim como observações muito sensíveis do Universo profundo,” conclui Tim de Zeeuw.

Notas

[1] A decisão necessitava de dez votos positivos (dentre 14). Onze votos positivos foram obtidos. Três dos quatorze votos são ad referendum, o que significa que estes votos são considerados positivos de maneira provisória, estando sujeitos a confirmação pelas autoridades destes três Estados Membros, antes da próxima reunião do Conselho. Uma vez confirmados, esta decisão do Conselho será então unânime.

Informações adicionais

O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é o observatório astronómico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrónomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronómico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projeto astronómico que existe atualmente. O ESO encontra-se a planear o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio de 39 metros que observará na banda do visível e do infravermelho próximo. O E-ELT será “o maior olho do mundo virado para o céu”.

Links

Contactos

Margarida Serote
ESO Science Outreach Network
Portugal
Telm.: 964951692
Email: eson-portugal@eso.org

Richard Hook
ESO Public Information Officer
Garching bei München, Germany
Tel.: +49 89 3200 6655
Email: rhook@eso.org

Connect with ESO on social media

Este texto é a tradução da Nota de Imprensa do ESO eso1440, cortesia do ESON, uma rede de pessoas nos Países Membros do ESO, que servem como pontos de contacto local com os meios de comunicação social, em ligação com os desenvolvimentos do ESO. A representante do nodo português é Margarida Serote.

Sobre a Nota de Imprensa

Nº da Notícia:eso1440pt
Nome:Extremely Large Telescope
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory
Facility:Extremely Large Telescope

Imagens

Impressão artística do European Extremely Large Telescope
Impressão artística do European Extremely Large Telescope
O Conselho do ESO dá luz verde à construção do E-ELT
O Conselho do ESO dá luz verde à construção do E-ELT
Nascer da Lua no Cerro Armazones
Nascer da Lua no Cerro Armazones
Os trabalhos de construção no Cerro Armazones progridem bem
Os trabalhos de construção no Cerro Armazones progridem bem
Impressão artística do European Extremely Large Telescope
Impressão artística do European Extremely Large Telescope
Impressão artística do European Extremely Large Telescope
Impressão artística do European Extremely Large Telescope
Trabalhos de construção no Cerro Armazones
Trabalhos de construção no Cerro Armazones
Trabalhos de construção no Cerro Armazones
Trabalhos de construção no Cerro Armazones
Trabalhos de construção no Cerro Armazones vistos a partir do Paranal
Trabalhos de construção no Cerro Armazones vistos a partir do Paranal
Vista panorâmica do Cerro Armazones a partir do Paranal
Vista panorâmica do Cerro Armazones a partir do Paranal
Os trabalhos de construção no Cerro Armazones progridem bem
Os trabalhos de construção no Cerro Armazones progridem bem
Cerro Armazones
Cerro Armazones

Vídeos

ESOcast 70: Luz verde para a construção do E-ELT
ESOcast 70: Luz verde para a construção do E-ELT
Blowing the lid off Cerro Armazones
Blowing the lid off Cerro Armazones
apenas em inglês

Veja também