Notas de Imprensa

Assine as Notícias do ESO
eso1007pt — Nota de Imprensa Científica
Sem Lugar para se Esconderem: Descobertas Estrelas Primitivas Desaparecidas Exteriores à Via Láctea
17 de Fevereiro de 2010: Durante anos as estrelas mais primitivas residentes fora da Via Láctea conseguiram esconder-se mas agora foram finalmente desmascaradas. Novas observações utilizando o Very Large Telescope do ESO solucionaram um importante problema astrofísico relativo às estrelas mais antigas na nossa vizinhança galáctica - o qual é crucial para compreender as estrelas que se formaram muito cedo no Universo.
eso1006pt — Foto de Imprensa
Orion sob uma Nova Luz
10 de Fevereiro de 2010: A nebulosa de Orion revela-nos muitos dos seus segredos, numa imagem extraordinária obtida pelo VISTA, o novo telescópio de rastreio do ESO. O grande campo de visão do telescópio possibilita a observação da nebulosa em todo o seu esplendor enquanto que a visão infravermelha do VISTA permite-nos perscrutar profundamente regiões de poeira que se encontram geralmente invisíveis, e onde podemos observar o comportamento de estrelas jovens muito activas que aí residem.
eso1005pt — Foto de Imprensa
As Estrelas por detrás da Cortina
3 de Fevereiro de 2010: O ESO acaba de divulgar uma magnífica imagem obtida pelo VLT, de uma maternidade estelar gigante em torno de NGC 3603, local onde se encontram permanentemente estrelas em formação. Envolto nesta nebulosa encontra-se um dos mais compactos e luminosos enxames de estrelas jovens de grande massa da nossa Via Láctea. Este enxame é um local bastante semelhante às regiões de formação estelar muito activas que existem noutras galáxias. É também neste enxame que se encontra a estrela de maior massa observada até hoje.
eso1004pt — Nota de Imprensa Científica
Caçadores de Buracos Negros Batem Novo Recorde de Distância
27 de Janeiro de 2010: Utilizando o Very Large Telescope do ESO os astrónomos detectaram, numa outra galáxia, o buraco negro estelar mais distante descoberto até hoje. Com uma massa de cerca de quinze vezes a massa do Sol, este é igualmente o segundo buraco negro mais maciço conhecido até hoje. O objecto encontra-se em interacção com uma estrela que, em pouco tempo, irá dar origem, também ela, a um buraco negro.
eso1003pt — Foto de Imprensa
No Rasto de um Gato Cósmico
20 de Janeiro de 2010: O ESO acaba de divulgar uma nova imagem surpreendente de uma vasta nuvem conhecida como a Nebulosa Pata de Gato. Esta complexa região de gás e poeira, onde inúmeras estrelas de grande massa se estão a formar situa-se próximo do centro da Via Láctea encontrando-se por isso bastante obscurecida por nuvens de poeira.
eso1002pt — Nota de Imprensa Científica
VLT Captura Primeiro Espectro de um Exoplaneta de Forma Directa
13 de Janeiro de 2010: “O espectro de um planeta é como uma impressão digital. Fornece-nos informação importante acerca dos elementos químicos que se encontram na sua atmosfera,” diz Markus Janson, primeiro autor do artigo que relata a nova descoberta. “Com esta informação, podemos compreender melhor como é que o planeta se formou e, no futuro, poderemos inclusivamente descobrir possíveis marcas da presença de vida.“
eso1001pt — Nota de Imprensa Institucional
Apertando o laço ao ALMA
4 de Janeiro de 2010: O Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) passou uma importante fase de desenvolvimento, fase essa crucial para que se consigam imagens de alta qualidade, as quais serão a imagem de marca deste instrumento revolucionário em astronomia. Astrónomos e engenheiros conseguiram, pela primeira vez, unir com sucesso três das antenas do observatório, no local de observação, a 5000 metros de altitude, no norte do Chile. Trabalhando em uníssono, as três antenas abrem caminho para imagens do Universo frio com uma resolução sem precedentes, fornecendo assim o elo perdido necessário para corrigir erros que aparecem apenas quando duas antenas são utilizadas.
eso0950pt — Nota de Imprensa Científica
Astrónomos Encontram Mundo com Atmosfera Densa, Inóspita e com Coração Gelado
16 de Dezembro de 2009: Os astrónomos descobriram um segundo exoplaneta do tipo super-Terra [1], para o qual determinaram a massa e o raio, o que forneceu pistas vitais sobre a sua estrutura. É igualmente a primeira super-Terra onde foi encontrada uma atmosfera. O exoplaneta, que orbita uma pequena estrela a cerca de 40 anos-luz de distância, abre novas perspectivas na procura de mundos habitáveis. O planeta, GJ1214b, tem uma massa de cerca de seis vezes a massa terrestre e o seu interior é provavelmente constituído por gelo de água. A sua superfície parece ser relativamente quente e o planeta encontra-se envolvido por uma atmosfera densa, o que o torna inóspito para albergar formas de vida tais como as que conhecemos sobre a Terra.
eso0949pt — Nota de Imprensa Institucional
VISTA: Novo Telescópio Pioneiro de Rastreio Começa Operações
11 de Dezembro de 2009: Um novo telescópio - VISTA (the Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy) — começou a trabalhar no Observatório Paranal do ESO e fez a sua primeira divulgação de imagens. O VISTA é um telescópio de rastreio que trabalha nos comprimentos de onda do infravermelho e é o maior telescópio do mundo dedicado ao mapeamento do céu. O seu enorme espelho, grande campo de visão e detectores extremamente sensíveis dar-nos-ão uma visão completamente nova do céu meridional. Novas imagens espectaculares da Nebulosa da Chama, do Centro da nossa Via Láctea e do Enxame de Galáxias Fornax mostram que o telescópio se encontra a funcionar muitíssimo bem.
eso0948pt — Nota de Imprensa Científica
Variações de Brilho em Estrelas do Tipo Solar: O Mistério Adensa-se
7 de Dezembro de 2009: Um extenso trabalho desenvolvido pelo Very Large Telescope do ESO adensa um mistério de longa data relativo ao estudo de estrelas semelhantes ao Sol. Estranhas - e inexplicáveis - variações de duração de anos no brilho de cerca de um terço de todas as estrelas do tipo solar nas fases finais das suas vidas permanecem por explicar. Nas últimas décadas, os astrónomos tentaram formular várias explicações possíveis, mas as novas observações contradizem-nas todas e apenas adensam o mistério. A procura de uma explicação aceitável continua.
eso0947pt — Nota de Imprensa Científica
Retrato de Família Estelar Leva Técnica de Imagem a Novos Extremos
3 de Dezembro de 2009: Uma imagem extraordinária do ESO revela o enxame estelar jovem Trumpler 14 em todo o seu esplendor. A quantidade de detalhes observados neste retrato, que mostra de forma magnífica a vida de uma grande família de estrelas, deve-se ao instrumento MAD (Multi-conjugate Adaptive optics Demonstrator) montado no Very Large Telescope do ESO. Nunca um pedaço tão grande de céu tinha sido fotografado anteriormente usando a técnica de óptica adaptativa [1], segundo a qual os astrónomos são capazes de remover a maior parte dos efeitos da atmosfera terrestre que tornam uma imagem turva.
eso0946pt — Nota de Imprensa Científica
Buraco Negro Apanhado a Construir Galáxia Hospedeira?
30 de Novembro de 2009: O que vem primeiro, os buracos negros supermassivos que devoram matéria freneticamente ou as enormes galáxias nas quais eles residem? Um novo cenário surgiu de um conjunto recente de observações extraordinárias feitas de um buraco negro sem casa: os buracos negros podem estar a “construir” a sua própria galáxia hospedeira. Este pode bem ser o elo perdido, há muito procurado, que explica porque razão é que as massas dos buracos negros são maiores em galáxias que contêm maior número de estrelas.
eso0945pt — Nota de Imprensa Científica
“Escavação” Cósmica Revela Vestígios da Origem da Via Láctea
25 de Novembro de 2009: Espreitando através de espessas nuvens de poeira no bojo da nossa Galáxia (as miríades de estrelas que envolvem o seu centro) e revelando uma extraordinária quantidade de detalhes, uma equipa de astrónomos descobriu uma estranha mistura de estrelas no grupo estelar chamado Terzan 5. Nunca antes observado no bojo da galáxia, este peculiar “cocktail” de estrelas sugere que Terzan 5 é de facto um dos blocos construtores do bojo, mais provavelmente uma relíquia de uma galáxia anã que se fundiu com a Via Láctea durante a sua fase inicial.
eso0944pt — Foto de Imprensa
Observando o jantar duma Galáxia Canibal
20 de Novembro de 2009: Uma nova técnica, que utiliza imagens no infravermelho próximo, obtidas com o telescópio do ESO New Technology Telescope (NTT) de 3.58 metros, permite aos astrónomos observar através de camadas espessas de poeira a galáxia canibal gigante Centaurus A, revelando a sua última refeição com elevado pormenor - uma galáxia espiral mais pequena, actualmente torcida e deformada. Esta imagem extraordinária mostra igualmente, espalhados tal qual jóias brilhantes, milhares de enxames estelares em movimento no interior de Centaurus A.
eso0943pt — Nota de Imprensa Científica
Identificada Bomba Relógio Estelar em Contagem Decrescente
17 de Novembro de 2009: Utilizando o Very Large Telescope do ESO, com uma capacidade de obter imagens tão nítidas como se fossem obtidas a partir do espaço, os astrónomos construíram o primeiro filme de uma invulgar concha de matéria ejectada por uma “estrela vampiro” que, em Novembro de 2000, sofreu uma explosão depois de ter sugado parte da matéria da sua estrela companheira. Os astrónomos conseguiram determinar a distância e o brilho intrínseco do objecto em explosão. Pensa-se que este sistema de estrela dupla é um candidato principal, longamente procurado, a progenitor de estrelas em explosão conhecidas como supernovas de tipo Ia, objectos estes que são cruciais nos estudos de energia escura.
eso0942pt — Nota de Imprensa Científica
Exoplanetas Fornecem Pista para Explicar a Estranha Química do Sol
11 de Novembro de 2009: Com base num censo de 500 estrelas, 70 das quais conhecidas por possuírem planetas, estabeleceu-se uma relação entre o “mistério do lítio” observado no Sol e a presença de sistemas planetários. Utilizando o espectrógrafo do ESO, HARPS, uma equipa de astrónomos descobriu que estrelas do tipo do Sol que albergam planetas destroem o seu lítio com muito mais eficácia do que as estrelas sem planetas. Esta descoberta não só ajuda a compreender a falta de lítio na nossa estrela, como também fornece aos astrónomos um método muito eficaz para procurar estrelas com sistemas planetários.
eso0941pt — Nota de Imprensa Científica
Iluminando o Esqueleto Cósmico
3 de Novembro de 2009: Astrónomos encontraram um gigantesco grupo de galáxias, anteriormente desconhecido, situado a quase sete milhares de milhões de anos-luz de distância. A descoberta, apenas possível combinando dois dos telescópios terrestres mais poderosos do mundo, é a primeira observação duma tal estrutura de galáxias no Universo distante, fornecendo-nos preciosa informação sobre a rede cósmica e o seu processo de formação.
eso0940pt — Foto de Imprensa
Abrindo uma Caixa Cósmica Colorida de Jóias
29 de Outubro de 2009: A combinação de imagens obtidas por três telescópios excepcionais, o Very Large Telescope do ESO, o telescópio de 2.2 metros MPG/ESO que se encontra no observatório de La Silla, do ESO, e o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, permitiu observar o enxame estelar da Caixa de Jóias numa perspectiva completamente diferente.
eso0939pt — Nota de Imprensa Científica
32 Novos Exoplanetas Encontrados
19 de Outubro de 2009: Hoje, numa conferência internacional ESO/CAUP sobre exoplanetas, a decorrer no Porto, a equipa que construiu o High Accuracy Radial Velocity Planet Searcher (HARPS), o espectrógrafo montado no telescópio de 3.6 metros do ESO, relata a incrível descoberta de 32 novos exoplanetas, confirmando-se assim o HARPS como o principal descobridor de exoplanetas do mundo. Este resultado aumenta em cerca de 30% o número de planetas de pequena massa conhecidos. Nos últimos cinco anos o HARPS descobriu mais de 75 dos 400 exoplanetas descobertos até agora.
eso0938pt — Foto de Imprensa
A Minúscula mas Robusta Vizinha Galáctica da Via Láctea
14 de Outubro de 2009: Hoje o ESO anuncia o lançamento de uma imagem inédita de uma das galáxias mais próximas de nós, a Galáxia de Barnard, também conhecida como NGC 6822. Esta galáxia possui regiões de intensa formação estelar e nebulosas fora do comum, tais como a bolha que se vê claramente na parte superior esquerda desta imagem extraordinária. Os astrónomos classificam a NGC 6822 como uma galáxia anã irregular devido à sua forma indefinida e ao seu pequeno tamanho, em termos galácticos. As formas estranhas destas galáxias ajudam os investigadores a compreender como é que as galáxias interagem, se desenvolvem, e ocasionalmente se “canibalizam” mutuamente, deixando para trás restos brilhantes a transbordar de estrelas.
Mostrar 241 até 260 de 274