Um crescente de Lua sobre o VLTI

Nesta imagem podemos ver ao pôr do Sol um dos quatro Telescópios Auxiliares do Very Large Telescope Interferometer (VLTI), no Observatório do Paranal do ESO. Um ténue crescente de Lua aparece no céu por cima da cúpula redonda do telescópio.

Juntamente com os quatro Telescópios Principais que compõem o Very Large Telescope, estes quatro telescópios auxiliares completam o VLTI. Ao contrário dos telescópios principais, que se encontram fixos, estes telescópios de 1,8 metros de diâmetro são amovíveis e podem ser colocados em 30 estações diferentes ao longo da plataforma para criar uma linha de base que vai até aos 200 metros. Este facto permite ao VLTI atuar como um único telescópio enorme (tamanho que corresponde à linha de base utilizada), através da técnica chamada interferometria — a combinação da luz colectada por vários telescópios mais pequenos de modo a aumentar a resolução do telescópio. No caso do VLTI, consegue-se atingir uma resolução angular da ordem dos milissegundos de arco — o que equivale a ver detalhes de até 2 metros à distância da Lua.

Esta fotografia foi tirada pelo Embaixador Fotográfico do ESO, Gabriel Brammer.

Links:

Créditos:

ESO/G. Brammer

Sobre a imagem

Id:potw1609a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:29 de Fevereiro de 2016 às 06:00
Tamanho:4280 x 2835 px

Sobre o objeto

Nome:Auxiliary Telescopes
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory : Telescope

Formatos de imagens

JPEG grande
2,3 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
118,2 KB
1280x1024
196,8 KB
1600x1200
295,7 KB
1920x1200
359,6 KB
2048x1536
525,7 KB

 

Veja também