Os Guanacos do Atacama

Estas criaturas com ar simpático, fotografadas em frente ao telescópio de 3,6 metros do ESO no Observatório de La Silla, são parentes do lama selvagem e chamam-se guanacos. Trata-se de um dos dois tipos de camelídeos nativos da região, sendo o outro a vicunha.

Medindo entre um e dois metros de comprimento (desde a cabeça à cauda) e pesando até cerca de 120 kg, os guanacos são um dos maiores mamíferos terrestres do Chile.

Estes intrépidos aventureiros podem ser encontrados na Bolívia, Paraguai, Argentina e ao longo de toda a cadeia montanhosa dos Andes: desde a Terra do Fogo, no extremo sul do Chile, até ao Peru. Alimentando-se da flora que o deserto lhes dá, a dieta dos guanacos é composta por cogumelos, ervas, folhas, árvores e até alguns tipos de flores de cacto.

Os guanacos e as vicunhas não são animais estranhos aos observatórios do ESO — em fevereiro de 2014 uma cria de vicunha foi salva por pessoal do ESO quando se aventurou no ALMA. A pobre criatura tinha ficado separada do seu rebanho após ter sido perseguida por uma raposa. Está agora a recuperar no Centro de Salvamento de Vida Selvagem e Reabilitação da Universidade de Antofagasta e será posteriormente devolvida à liberdade.

Créditos:

E. Matamoros/ESO

Sobre a imagem

Id:potw1601a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:4 de Janeiro de 2016 às 06:00
Tamanho:2592 x 1808 px

Sobre o objeto

Nome:ESO 3.6-metre telescope
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory

Formatos de imagens

JPEG grande
1,2 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
322,3 KB
1280x1024
499,5 KB
1600x1200
687,5 KB
1920x1200
785,4 KB
2048x1536
1001,6 KB

 

Veja também