ann15085-pt — Anúncio

Os telescópios do ESO observam a 1000ª explosão de raios gama detectada pelo satélite Swift

6 de Novembro de 2015

No dia 27 de outubro de 2015 às 22:40, o satélite Swift da NASA/ASI/UKSA detectou a sua 1000ª explosão de raios gama. Este evento marcante foi subsequentemente observado e caracterizado pelos telescópios do ESO no Observatório La Silla Paranal, situado no norte do Chile, que revelaram que esta explosão de raios gama é um objeto particularmente interessante.

As explosões de raios gama ocorrem de forma aleatória em todo o Universo distante. Pensa-se que sejam causadas por uma explosão estelar extremamente energética e que anunciem o nascimento de um novo buraco negro.

O Swift dedica-se a procurar no céu estes misteriosos e fascinantes eventos. Agora, e após mais de dez anos de vigília constante, o satélite detectou a sua 1000ª explosão de raios gama. A GRB 151027B ocorreu a 27 de outubro de 2015, na direção da constelação do Erídano [1].

Os telescópios do ESO possuem uma longa tradição em fazer observações de seguimento de eventos de explosões de raios gama (eso0318 e eso0533), não tendo portanto falhado este importante marco. O instrumento Gamma-Ray Burst Optical/Near-Infrared Detector (GROND) montado no telescópio MPG/ESO de 2,2 metros no Observatório de La Silla e o espectrógrafo X-shooter montado no Very Large Telescope (VLT) no Observatório do Paranal do ESO começaram as observações assim que a explosão de raios gama se tornou visível no Chile — cerca de 5 horas após a sua detecção [2].

Ao separar a ténue radiação que desvanece rapidamente emitida pela explosão de raios gama nas suas componentes de cor, o espectrógrafo X-shooter revela-se uma das ferramentas mais poderosas que existem para investigar a natureza deste fenómeno. Desde que o X-shooter existe, mais de metade das medições de distância de explosões de raios gama foram obtidas com este instrumento.

As observações do ESO revelaram que a explosão GRB 151027B ocorreu quando o Universo tinha apenas 1,5 mil milhões de anos (10% da sua idade atual) e a sua luz viajou durante 12,3 mil milhões de anos até chegar à Terra. Este resultado foi anunciado apenas 3 horas depois dos dados terem sido colectados e 8 horas depois da primeira detecção feita pelo Swift. Análises posteriores permitiram aos astrónomos determinar que a galáxia onde a GRB 151027B ocorreu tem uma abundância de elementos químicos pesados invulgarmente elevada.

Estas intrigantes conclusões sobre a GRB 151027B demonstram bem o sucesso da parceria entre a missão Swift e os telescópios do ESO, que forneceram observações de seguimento cruciais para centenas de explosões de raios gama. Os instrumentos X-shooter e GROND têm observado de forma sistemática estes eventos elusivos a partir do deserto do Atacama desde 2009 e 2007, respectivamente, fornecendo pistas importantes sobre as explosões mais potentes que acontecem no Universo.

Notas

[1] O número indica a data da detecção e a letra “B” diz-nos que esta foi a segunda das duas explosões de raios gama detectadas nesse dia.

[2] A colaboração X-shooter/GRB consiste nos seguintes elementos: L.A. Antonelli (INAF/OA Roma), M. Arabsalmani (ESO), Z. Cano (Univ. Islândia), L. Christensen (DARK/NBI Copenhaga), S. Covino (INAF/OA Brera), A. De Cia (ESO), P. D'Avanzo (INAF/OA Brera), V. D'Elia (INAF/OA Roma e ASI/ASDC), F. Fiore (INAF/OA Roma), H. Flores (Paris Obs./GEPI), M. Friis (Univ. Islândia), J. P. U. Fynbo (DARK/NBI Copenhaga), P. Goldoni (APC/Irfu - CEA), A. Gomboc (Univ. Nova Gorica), P. Groot (Nijmegen), O. E. Hartoog (Amsterdam), F. Hammer (Paris Obs./GEPI), J. Hjorth (DARK/NBI Copenhaga), P. Jakobsson (Univ. Islândia), J. Japelj (INAF/OA Trieste), L. Kaper (API/Amsterdam), T. Krühler (MPE, Munique), C. Ledoux (ESO, Santiago), A. J. Levan (Univ. Warwick), G. Leloudas (Weizmann e DARK/NBI Copenhaga), E. Maiorano (INAF/IASF Bolonha), D. Malesani (DARK/NBI Copenhaga), A. Melandri (INAF/OA Brera), B. Milvang-Jensen (DARK/NBI Copenhaga), P. Møller (ESO), E. Palazzi (INAF/IASF Bolonha), D. A. Perley (DARK/NBI Copenhaga), E. Pian (SNS Pisa), S. Piranomonte (INAF/OA Roma), G. Pugliese (API/Amsterdam), R. Sánchez-Ramírez (IAA-CSIC, Granada), S. Savaglio (Universidade de Calabria), P. Schady (MPE), J. Schaye (Leiden), S. Schulze (Pontificia Universidad Católica de Chile and MAS), J. Selsing (DARK/NBI Copenhaga), J. Sollerman (OKC Estocolmo), M. Sparre (MPA, Heidelberg), G. Tagliaferri (INAF/OA Brera), N. R. Tanvir (Univ. Leicester), C. C. Thöne (IAA-CSIC, Granada), A. de Ugarte Postigo (IAA-CSIC Granada), S. D. Vergani (CNRS, Paris Obs./GEPI), P. M. Vreeswijk (WIS), D. J. Watson (DARK/NBI Copenhaga), K. Wiersema (Univ. Leicester), R. A. M. J. Wijers (API/Amsterdam) e D. Xu (NAOC, Pequim).

A colaboração GROND é constituída por : P. Afonso (American River College), J. Bolmer (MPE), C. Delvaux (MPE), J. Elliott (CfA), R. Filgas (Univ. Técnica de Praga), J. Graham (MPE), J. Greiner (MPE), D.A. Kann (TLS Tautenburg), S. Klose (TLS Tautenburg), F. Knust (MPE), T. Kruehler (MPE), A. Nicuesa Guelbenzu (TLS Tautenburg), P. Schady (MPE), S. Schmidl (TLS Tautenburg), T. Schweyer (MPE), M. Tanga (MPE), K. Varela (MPE) e P. Wiseman (MPE).

Links

Contactos

Paulo Afonso
American River College, Physics and Astronomy Department,
Sacramento, Califórnia, EUA
Tel.: +49 89 30000 3847 / +1 916 4848733
Email: pafonso@mpe.mpg.de / AfonsoP@arc.losrios.edu

Johan Fynbo
Dark Cosmology Centre
Niels Bohr Institute
Copenhagen, Dinamarca
Tel: +45 3532 5983
Email: jfynbo@dark-cosmology.dk

Jochen Greiner
Max-Planck Institut für extraterrestrische Physik
Garching, Alemanha
Tel: +49 89 30000 3847
Email: jcg@mpe.mpg.de

Richard Hook
ESO Public Information Officer
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6655
Telm: +49 151 1537 3591
Email: rhook@eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann15085

Imagens

Imagem GROND da explosão de raios gama GRB 151027B
Imagem GROND da explosão de raios gama GRB 151027B