Esculpindo os céus de La Silla

Raras nuvens brancas raiam o céu por cima do Observatório de La Silla do ESO nesta fotografia tirada no dia 11 de junho de 2012 pelo astrónomo Alan Fitzsimmons.

Este ambiente seco e inóspito com vento forte a soprar ocasionalmente pode não ser o melhor local para se construir uma casa, mas é certamente o lugar ideal para os telescópios. Condições secas e áridas ajudam os astrónomos a evitar os problemas comuns das observação como a turbulência atmosférica, a poluição luminosa, a humidade e (na maioria das vezes) as nuvens, permitindo-lhe ter uma vista clara do cosmos. Mesmo neste dia raro com nuvens que a imagem mostra, o céu ficou limpo ao anoitecer e as observações tiveram lugar como de costume.

Os telescópios que estão instalados em La Silla - incluindo dois principais operados pelo ESO: o telescópio de 3,6 metros do ESO e o New Technology Telescope (NTT) - encontram-se equipados com instrumentos de vanguarda, o que lhes permite explorar ao máximo as condições de observação únicas que existem no norte do Chile.

É no telescópio de 3,6 metros do ESO que se encontra atualmente montado o High Accuracy Radial velocity Planet Searcher (HARPS), um  instrumento dedicado à descoberta de planetas extrasolares. O NTT foi pioneiro em óptica ativa, tendo sido o primeiro telescópio do mundo a ter um espelho primário controlado por computador.

La Silla foi o primeiro observatório do ESO no Chile inaugurado nos anos 1960 e tem, desde essa altura, desempenhado um papel fundamental.

Créditos:

A.Fitzsimmons/ESO

Sobre a imagem

Id:potw1433a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:18 de Agosto de 2014 às 10:00
Tamanho:3888 x 2592 px

Sobre o objeto

Nome:La Silla
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory

Formatos de imagens

JPEG grande
2,5 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
238,3 KB
1280x1024
373,8 KB
1600x1200
534,7 KB
1920x1200
624,9 KB
2048x1536
871,6 KB

 

Veja também