Imagem HAWK-I da região central da Via Láctea

Obtida com o instrumento HAWK-I montado no Very Large Telescope do ESO, no deserto chileno do Atacama, esta imagem mostra a região central da Via Láctea com uma resolução angular de 0,2 segundos de arco, o que significa que o nível de detalhe obtido pelo HAWK-I corresponde, aproximadamente, a estar em Lisboa e conseguir ver um campo de futebol no Porto.

A imagem combina observações em três bandas diferentes de comprimentos de onda. A equipa utilizou os filtros de banda larga J (centrado a 1250 nanómetros, no azul), H (centrado a 1635 nanómetros, no verde) e K (centrado a 2150 nanómetros, no vermelho), para cobrir a região do infravermelho próximo do espectro electromagnético. Ao observar nesta região de comprimentos de onda, o instrumento HAWK-I vê para lá da poeira, conseguindo observar determinadas estrelas na região central da Galáxia que, de outro modo, seriam invisíveis.

Créditos:

ESO/Nogueras-Lara et al.

Sobre a imagem

Id:eso1920a
Língua:pt
Tipo:Observação
Data de divulgação:16 de Dezembro de 2019 às 17:00
Notícias relacionadas:eso1920
Tamanho:40303 x 17463 px

Sobre o objeto

Nome:Milky Way Galactic Centre
Tipo:Milky Way : Galaxy : Component : Center/Core
Constellation:Sagittarius

Formatos de imagens


Zoom


Papéis de parede

1024x768
534,5 KB
1280x1024
905,9 KB
1600x1200
1,3 MB
1920x1200
1,6 MB
2048x1536
2,2 MB

Coordenadas

Position (RA):17 45 35.96
Position (Dec):-28° 59' 53.45"
Field of view:35.69 x 15.46 arcminutes
Orientação:O norte está a 58.8° à esquerda da vertical

Cores e filtros

BandaComprimento de ondaTelescópio
Infravermelho
J
1.258 μmVery Large Telescope
HAWK-I
Infravermelho
H
1.62 μmVery Large Telescope
HAWK-I
Infravermelho
Ks
2.146 μmVery Large Telescope
HAWK-I

 

Veja também