Quatro mil milhões de vezes melhor

Esta Fotografia da Semana mostra a Via Láctea estendendo-se sobre o Very Large Telescope (VLT) no Observatório do Paranal do ESO, demonstrando bem o surpreendente nível de detalhe visível no céu noturno neste local remoto no deserto do Atacama no Chile. 

No Paranal, a Via Láctea salpicada de estrelas é tão brilhante que numa noite escura dá origem a sombras de pessoas e objetos! Esta imagem mostra inúmeras estrelas, faixas escuras de poeira e nuvens resplandecentes de gás celeste. Estas nuvens são locais de formação estelar; radiação energética emitida por estrelas recém nascidas ioniza o hidrogénio presente nas nuvens de gás, fazendo com que estas brilhem em tons vermelho/rosa. Por baixo da Via Láctea, e logo por cima do telescópio que se encontra em primeiro plano, vemos a Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia anã que orbita a nossa Galáxia.

O VLT, o observatório óptico mais avançado do mundo, observa o céu noturno todas as noites a partir deste local. O VLT é, na realidade, composto por quatro Telescópios Principais, que podemos ver nesta imagem, e quatro Telescópios Auxiliares mais pequenos amovíveis (um dos quais vemos ao longe, à esquerda do Telescópio Principal que se encontra em primeiro plano). Cada Telescópio Principal possui um espelho primário de 8,2 metros de diâmetro e é capaz de observar objetos quatro mil milhões de vezes mais ténues do que os que podemos ver a olho nu. Imagine o que o VLT consegue ver neste glorioso céu noturno!

Créditos:

Sobre a imagem

Id:potw2017a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:27 de Abril de 2020 às 06:00
Tamanho:20956 x 19333 px

Sobre o objeto

Nome:Milky Way, Very Large Telescope
Tipo:Unspecified : Sky Phenomenon : Night Sky : Milky Way
Unspecified : Technology : Observatory

Formatos de imagens


Zoom


Papéis de parede

1024x768
377,5 KB
1280x1024
649,5 KB
1600x1200
990,7 KB
1920x1200
1,2 MB
2048x1536
1,6 MB

 

Veja também